quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Classificados!



Se hoje o empate valia muito (como o título da postagem anterior), o "Rei dos Empates", Botafogo, atingiu o seu objetivo.

No 0 a 0 com o Vasco, o GLORIOSO assegurou a passagem de fase na Copa do Brasil, além de, é claro, abocanhar um dinheiro que será muito bem-vindo ao cofre em General Severiano.

Considerando o que foi o jogo, resultado justo, tamanha paridade entre as equipes. Ambas, tecnicamente limitadas. 

No lado botafoguense, uma partida boa do setor defensivo e de meio campo. Infelizmente, atuamos sem ataque, já que os homens de frente foram mal a beça. Em momento algum deram velocidade ou ofereceram perigo. A incapacidade do último toque com qualidade é gritante. Logo, tivemos apenas um lance perigoso no final do jogo. E só. Menos mal que o Vasco também não assustou, esbarrando na mesma falta de qualidade.

Em em um confronto tão nivelado, valeu aquele golzinho do Babi no jogo passado. 

Na verdade, valeu muito!

Diante das circunstância (e do que podemos esperar do time), parabéns a todos pela classificação. Agora vamos aguardar o sorteio da próxima fase, mas voltando a atenção total ao Brasileirão, já que temos um jogo no domingo e, por lá, nossa situação é bem mais tensa, preocupante...e não podemos ter outro desempenho ofensivo tão ruim. 

Que os gols que não precisavam vir hoje, apareçam diante do Atlético/GO.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 0 Vasco

1- Gatito: Sem muito trabalho - 5,0

2- Kevin: Uma partida aceitável - 5,0

3- Marcelo: Muito bem - 6,5

4- Kanu: Ganhou tudo - 7,0

5- Rafael Forster: Enfim, um bom jogo - 6,5

6- Victor Luís: Aplicado e com a raça de sempre - 6,0

7- Kalou: Muito mal. Sem pernas e errando tudo - 2,5

8- Honda: O dono do time. Correu demais, marcou, se apresentou e até discutiu com adversários - 7,0

9- Matheus Babi: Saiu muito da área. E fora dela, é limitado e pouco produtivo - 5,0

10- Bruno Nazário: Errou toda tomada de decisão final - 4,5

11- Caio Alexandre: Não foi brilhante, mas não se escondeu - 5,5

12- Rentería: Fechou mais a marcação - 5,0

13- Pedro Raul: Não conseguiu segurar a bola na frente - 4,5

14- Davi Araújo: Colaborou no vai e vem pelo lado direito - 5,0

15- Rhuan: O rapaz fica cansado com 3 minutos em campo. É molenga demais - 4,0

Paulo Autuori: Diante do que tinha, fez a leitura correta. Percebeu que o problema esteve apenas no setor ofensivo e tentou mudar - 6,5

Hoje o empate vale muito














O Botafogo entra em campo para se garantir na próxima fase da Copa do Brasil.

Para isso, basta um empate contra o Vasco, em São Januário.

De empate a gente entende, afinal, no Brasileirão somos os grandes colecionadores do resultado. Só que lá, o pontinho é péssimo negócio. Não a toa, estamos na zona de rebaixamento e teremos sérias dificuldades para sair de lá e permanecer na primeira divisão em 2021.

Mas deve estar no planejamento da diretoria e comissão técnica, afinal, acreditam que temos elenco suficiente para priorizar uma difícil (e inédita) conquista na CB e reagir com elenco limitadíssimo no campeonato brasileiro.

Torcemos muito para que estejam certos.

Logo, hoje, com ou sem empate, não espero nada além da classificação.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

terça-feira, 22 de setembro de 2020

É inadmissível

















Mais uma vez, o técnico Paulo Autuori reforçou:

"- É um trabalho que certamente não vou tirar proveito. Quando decidi estar aqui, o fiz sabendo que teria que ter coragem naquilo que iria fazer, botar a carne no assador com objetivo de construir alguma coisa para no futuro aquele que estiver como treinador possa usufruir um pouco de uma estabilidade maior e de novos jogadores".

O cara não cansa de dizer que não quer mais ser treinador de futebol. 

O cara não cansa de passar uma impressão de que está fazendo um favor ao Botafogo.

Como um elenco pode se motivar ou correr pelo seu comandante, se o próprio vive a falar - diariamente - que está trabalhando sem empolgação em uma função que não gosta mais?

Como um profissional que vive dizendo que não quer mais o cargo que ocupa continua empregado e com moral perante os seus superiores?

Ah, o Autuori tira leite de pedra, Rodrigo. Sem ele, estaríamos ainda pior.

Amigos, hoje estamos na zona de rebaixamento. Somos o antepenúltimo colocado do campeonato. 

Parafraseando o palhaço (até porque, o Botafogo também parece um picadeiro): Pior do que está, não fica! 

Um profissional com tesão em ser treinador de futebol já seria um ótimo reforço.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Qual jogo ele disputou?











Palavras do zagueiro Marcelo, após o péssimo empate de ontem:

"- Saímos com o gosto de derrota pelo que apresentamos. Mandamos no jogo, a equipe foi bem intensa hoje, e o que faltou foi o gol, acertar o último passe para sair o gol e sair vitorioso. Não deu hoje, mas vamos ver no próximo jogo".

Não pode ser sério isso!

Eu gosto (muito) do Marcelo, mas será que lá dentro do vestiário, com a cabeça fria e banho tomado, ninguém vai agradecer ao Gatito pelo 0 a 0? Quando o seu goleiro é o destaque absoluto, não existe qualquer hipótese de termos jogado melhor e sair de campo com gosto de derrota no empate.

Ontem foi empate com gosto de empate mesmo. E na situação em que nos encontramos, isso é péssimo.

Por esses discursos que eu fico cada vez mais preocupado com o futuro do time na temporada...


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

domingo, 20 de setembro de 2020

Afundando na Z4










Elenco limitadíssimo, pessimamente mal trabalhado técnica e fisicamente, escalações e substituições estranhas e o Santos ameaçando quase o tempo todo.

Diante de todo esse quadro, devemos agradecer por terminar o domingo com o 0 a 0 no Niltão.

Em momento algum, o Botafogo mostrou capacidade e vontade de querer vencer o adversário. O tempo inteiro tentando apenas não perder.

E olha que nos acréscimos quase saímos derrotados.

Com o empate, continua tudo igual. Ou seja, o GLORIOSO na zona de rebaixamento, com apenas uma vitória na competição (sendo que esse é o primeiro critério de desempate) e sem passar confiança alguma ao seu torcedor.

Ah, e além dos vários desfalques por "incômodo muscular", ainda nos reservamos ao luxo de poupar alguns titulares, afinal, na quarta teremos o jogo de volta pela Copa do Brasil. Só que esquecem que na nossa situação no Brasileirão, não dá para poupar ninguém, pois se os rivais abrirem diferença, não temos time (e nem treinador) pare recuperar. E aí, vai ter adiantado alguma coisa?

Sobre o duelo dos alvinegros, nada a falar. Do lado botafoguense, um futebol sofrível. Algo assustador e que só fez o torcedor passar raiva. Principalmente com as infinitas incoerências do seu comandante técnico, completamente perdido no banco de reservas.

Amigos, insisto: No ano de 2020, não é impossível (apesar de muitíssimo difícil) o título da Copa do Brasil, mas diante das circunstâncias e perspectivas para 2021, considero um erro de planejamento priorizar a taça e colocar a permanência na primeira divisão em risco no ano que vem. Aí, de nada adiantará projeto de SA, etc.

Que os Deuses do Futebol nos vigiem, pois com a bola rolando está complicado manter qualquer dose de otimismo.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 0 x 0 Santos

1- Gatito: Evitou a derrota com pelo menos quatro grandes defesas - 7,0

2- Fernando: Uma lástima - 2,5

3- Marcelo: Bem na partida - 6,5

4- Kanu: Nervoso, andou falhando - 5,0

5- Rentería: Errou todos os primeiros botes - 5,0

6- Victor Luís: Não foi bem - 4,5

7- Rhuan: Nulo, preguiçoso - 4,0

8- Caio Alexandre: O mais dinâmico do meio de campo - 5,5

9- Matheus Babi: Saindo da área é limitadíssimo - 5,5

10- Kalou: Totalmente sem pernas - 4,0

11- Davi Araújo: Fraquinho, não fedeu e nem cheirou - 4,5

12- Barrandeguy: Outra porcaria - 4,0

13- Rafael Forster: Entrou só para dar chutões - 4,5

14- Honda: Segurou um pouco mais a bola - 5,0

15- Hugo: Estreia um pouco nervosa - 4,5

16- Luiz Otávio: Entrou nos acréscimos (ainda bem) - Sem nota

Paulo Autuori: Mexe demais, fala muito e faz tudo ao contrário. Incoerente e perdido sem saber o que fazer com as peças diante dos jogos - 3,0

Foco no Santos














O Botafogo está de olho no jogo da volta pela Copa do Brasil, quarta-feira, contra o Vasco.

Só que hoje tem uma parada complicada pelo Brasileirão.

O Santos é um time chato, mas que também está de olho no seu compromisso da Libertadores. 

A diferença é que nós estamos com a corda no pescoço e amargando a zona de rebaixamento no campeonato brasileiro. Ou seja, qualquer resultado diferente da vitória nos joga ainda mais para baixo. E um time limitado e sem elenco, a cada rodada que passa, mais difícil fica para se recuperar.

Infelizmente estamos em uma situação que não nos permite poupar. Mas se for a opção do Paulo Autuori, que joguemos com muita garra para superar todas adversidades.

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sábado, 19 de setembro de 2020

Filosofias do futebol moderno
















Análise do técnico Paulo Autuori:

"- Se vermos os dois jogos contra o Vasco, tivemos possibilidades de trabalhar bem tanto entre a linha de ataque e meio-campo do Vasco quanto de meio-campo para a sua linha defensiva. Nós temos qualidade, estamos quebrando linha dos adversários com rendimento muito bom em todos os jogos. Isso são sequências táticas. Normalmente a gente vê o jogador, o centro do jogo e deixa de olhar com maior abrangência o jogo tanto em termo de profundidade quanto de largura".

Alguém me ajuda a traduzir?

Eu tenho visto o time espaçado sem toda essa desenvoltura e "sequência tática"...
...com ou sem "profundidade".


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Saber usar o banco















Palavras do técnico Paulo Autuori, a respeito das cãibras de vários jogadores, após a vitória de ontem:

"- A questão física é de todas as equipes. Antes do Fernando entrar, minha questão foi perguntar como estavam Honda e Kalou. Logo depois Honda caiu e não tínhamos mais nada a fazer. Se meu olhar fosse só pela questão física, acho que cinco substituições descaracterizam muito a equipe. Só o farei se for necessário. A equipe estava bem focada e teve atitude e disponibilidade em todos os quesitos: tático, físico, técnico, mental".

Não entendi...

O time no segundo tempo sempre se arrasta em campo. Morre literalmente. E ele só fará as cinco mudanças quando for necessário? Ué, se perdemos o ritmo e intensidade com frequência, como ele balizará a necessidade? 

Outra coisa interessante...

No jogo contra o Vasco no domingo passado, ele fez todas as alterações com 15 minutos do segundo tempo. Ontem, deu sorte que faltavam poucos minutos e ninguém saiu machucado, pois o PA conseguiu se embananar na administração das (até) cindo mudanças permitidas em três paradas de jogo. Usou as duas primeiras isoladamente e na última (parada) se enrolou todo, terminando o clássico sem utilizar dois atletas com mais fôlego.

Agora vamos aguardar quais serão as surpresas para o importante jogo contra o Santos.  Nossa situação na tabela não permite entrar em campo sem os melhores desde o início.

E mesmo com todas as evidências e sinais, o Felippe Capella continua intocável e muito bem empregado em General Severiano...


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Saímos na frente

















O Botafogo sai em vantagem no confronto contra o Vasco pela Copa do Brasil.

Depois de perder no último domingo pelo Brasileirão, o GLORIOSO venceu o mesmo adversário por 1 a 0 nesta noite de quinta-feira. Agora joga pelo empate na próxima semana, em São Januário.

Triunfo de suma importância. Principalmente quando lembramos que o nível técnico dos dois times é bem parelho. Logo, toda e qualquer vantagem (por menor que seja) deve ser considerada. 

Em relação ao jogo, um primeiro tempo bem ruim. O Botafogo era um time estático, lento, sem inspiração e apático. Infinitas trocas de passes entre o trio de zaga e um vazio no meio de campo. Desta maneira, o ataque - também sem mobilidade - mal recebia bolas. 

Na zaga, um único vacilo... salvo pelo Gatito.

Na volta do intervalo, confesso que pensei que o Paulo Autuori voltaria com mudança tática. Mas não foi o que aconteceu. Mesmo time e mesma forma de jogar. 

Com o passar dos minutos, uma troca de volante por volante, apenas para aumentar a pegada no setor. E quanto a isso, deu resultado. Mas continuávamos com três zagueiros - de maneira desnecessária - e um futebol insosso. 

Até que apareceu o talento.

E para "azar" do treinador, o Honda, em jogada de armador, matou a bola com maestria, armou o ataque...
...e gol do Botafogo.

A partir daí, apenas administração de resultados com duas observações:

1- O preparo físico continua lamentável. Horroroso. Vexatório.

2- Não se pode desperdiçar um contra-ataque como o que tivemos praticamente nos acréscimos.

Por fim, o que o treinador fará, não sei. Mas, pelo amor de Deus: O Honda é armador! O Honda não é volante!

Terminado esse primeiro duelo e vantagem debaixo dos braços, voltamos a atenção para o Brasileirão, quando teremos um jogo chato no final de semana e qualquer resultado diferente da vitória será catastrófico.

Nada de poupar!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 1 x 0 Vasco

1- Gatito: Uma grande defesa no primeiro tempo - 5,5

2- Kevin: Erra praticamente todos cruzamentos - 4,5

3- Marcelo: Boa partida - 6,0

4- Kanu: Soberano - 6,5

5- Rafael Forster: Não comprometeu e ajudou na saída de bola - 6,0

6- Victor Luís: Poderia ter se arriscado mais no ataque - 5,0

7- Kalou: Ficou muito preso. Ainda assim, é diferente para o futebol brasileiro - 5,0

8- Honda: Muito mais vibrante do que no domingo passado. Mostrou que tem talento e bola para jogar adiantado - 6,5

9- Matheus Babi: Cumpriu (outra vez) a sua função: Marcar gol - 6,5

10- Bruno Nazário: Não conseguiu dar sequência em um único lance - 4,0

11- Caio Alexandre: Faltou mais intensidade - 5,0

12- Rentería: Deu mais pegada na marcação - 6,0

13- Rhuan: Sem muito destaque - 5,0

14- Fernando: Só entrou para fechar o lado - 5,0

Paulo Autuori: Demorou para tentar uma mexida. Precisa repensar no time com o Honda adiantado - 5,0