quarta-feira, 3 de julho de 2013

Quando a raça supera a técnica


















O goleiro Jefferson falou sobre a sua experiência com a seleção no título da Copa das Confederações e no Botafogo (para o restante da temporada):

"- Quero passar algumas experiências que tive ali dentro do grupo. Não joguei, mas mesmo assim estava ali motivado comemorando gol como se tivesse pego um pênalti. O grupo no Botafogo está fechado, unido e se estiver com o mesmo espírito da seleção vai chegar longe".

Uma coisa ficou provado (no jogo Brasil e Espanha): Se um time - mesmo tecnicamente inferior - entrar com a faca entre os dentes, tudo pode acontecer. 

O Botafogo não é o melhor time do Brasileirão, mas se atuar com vontade e dedicação (apresentadas pela seleção, por exemplo), pode sonhar com uma agradável surpresa em dezembro.

Depende deles.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

9 comentários:

Alexandra Talarico disse...

Rodrigo a bastante tempo eu visito este blog mas é a primeira vez que eu comento. Sobre o jogo, pra mim foi e foi o melhor jogo da seleção e o pior da Espanha e eu achei tão fácil q até passou coisas pela minha cabeça que teria alguma facilitação, copa no Brasil, renda de jogo...mas deve ser porque o ser humano às vezes é meio neurótico né. Sobre o campeonato eu não vejo nenhum super time no Brasil, tem muitos no mesmo nível e eu não vejo o Botafogo atrás de outros chamados favoritos, então se houver comprometimento, vontade de vencer e não tiver mais saídas de jogadores importantes dá pra sonhar alto no brasileiro e na CB. Desculpa eu ter escrito tanto rs. Abraço Moisés

Daniel Victor disse...

Tomara que fique pelo menos mais esse ano, neh. Com ctz o minimo que ele conseguir passar dessa experiencia com a selecao aos companheiros, sera otimo. Principalmente se refletir dentro de campo a curto prazo.
Visto de outro angulo (aquele famoso) torco pra que a soberba nao o faca qrer ficar discutindo/discordando do Seedorf qnd nao tiveres razao, como aconteceu no carioquinha, e q deu maior repercussao da frapress, "nao sabemos pq", apos reclamacao do maestro qnt aos chutoes na saida de bola, com total razao. Eles, frapress, estao atacando por todos os lados, dentro e fora de campo, com forca total. Todo cuidado eh pouco.
Soh pra constar, nao sou soh pessimismo qnt ao arqueiro do Fogao, tenho muita feh que o Renanzinho ainda possa nos dar muitas alegrias!rs
Confesso nao ser grande fa do Jeferson, contudo vibro suas defesas como um tento a nosso favor, e certamente espero q hoje ele nem precise mostrar suas habilidades nessa vitoria e na consequente eliminaca, aqui em Floripa, do figueirinha, fazendo justica e reparando as falhas do passado.

Nao costumo escrever em dia de jogo, Rodrigao, mas infelizmente soh agora me dei conta deste fato. Vou deixar na tua responsa ein, publique se tiver coragem kk. Da-lhe Fogao!

Abraco!

Rodrigo Federman disse...

Olá, Moisés. É bem por aí mesmo. O Brasil jogou muito e a Espanha pouco. Volte sempre.

Daniel, acho que o Jefferson não é desse tipo de pessoa. Apesar de ídolo, ele sabe que o Seedorf é o Seedorf, né? rs

Abs e SA!!!

Daniel Victor disse...

Putz, nem qria falar a respeito da final das confederacoes, mas nao me aguento. E ja q o Moises tocou nesse assunto especifico rs das facilitacoes, saiu uma materia no uol em que dizia a respeito das lamentacoes dos dirigentes da cbf, na final, pq teria sido prometido aos jogadores q nesse jogo eles teriam 1000 ingressos para distribuir entre amigos e familiares, E a permissao para usar a aeronave da entidade, motivo maior dos lamentos dos dirigentes, para fazer a 'baldiacao' dos convidados, que seriam hospedado em um hotel em copacabana. Tudo por conta da CBF, claro.
Bom, com isso, fiz um conta rapida: chutando baixo que as despesas por cabeca ficou em torno dos 700 reais, multiplicado por 1000 dariam 700mil reais. Valor infimo para uma entidade que possui inumeros patrocinadores e nao poe, ou nao vejo por, 1 centavo para melhorar o futebol nacional.
Dinheiro, literalmente, eh mato na cbf. Entao, nao seria por falta dele que os cartolas deixariam de tentar facilitar a final, e ateh msm, visto as excentrica extravagancia do Sr. Jose Maria, embelezar a semi =O se tratando desse crapula, com o passado que tem, nao eh de se duvidar. O futebol no brasil nao foge do cenario politico do pais. Conto os dias para ver essa neoditadura se acabar. Nao me enganam com eleicoes na cbf, por mais q seja inedito,afinal, ja sabemos q nada vai mudar qnt ao verdadeiro Boss q trabalha, hoje, e recebe muito bem por isso, 100mil reais declarados publicamente, desfrutando da luxuosa mordomia de se viver em Miami beach.

Seria possivel que a espanha facilitaria para o Brasil? Nao sei, mas acho q soh depedia deles.

Rodrigo Federman disse...

Daniel, esse é o Brasil: Uma vergonha!
Abs e SA!!!

ari dias disse...

Temos um time que não deve muito para os outros, mas temos que vender caro nossas derrotas. Ainda não esqueci que perdemos uma partida para o time ridículo do Bahia, em uma noite que parecia que o time todo não queria entrar em campo.
Se a diretoria conseguir acertar os salários e premiações, acho que dá pra gente brigar por algo de porte neste fim de ano.
SALVE SEEDORF, ÍDOLO.

Rodrigo Federman disse...

Ari, e se não perdermos mais nenhum titular.
Abs e SA!!!

Biriba disse...

Não sei se essa declaração do Jefferson é uma alfinetada nos jogadores que "amoleceram" nas retas finais do ano passado e de 2011 -- ou no "esquema" que "facilitou" esse "amolecimento" -- ou se é uma forma de deixar público um alerta.

Porque o empenho e a garra do Botafogo de 2013 não é nem um fiapo inferior ao que a seleção demonstrou nessa Copa das Confederações.

Na verdade, acho que o atual time do Botafogo é ainda mais raçudo do que esse time da CBF, que tem um "pavão" perna-de-pau chamado Daniel Alves.

Off topic: Com a saída do FG, a dispensa do Andrezinho foi a melhor coisa que podia acontecer.

Saudações botafoguenses!

Rodrigo Federman disse...

Biriba, se foi, ele também tem culpa em não ter se posicionado/cobrado no ano passado, né?
Abs e SA!!!