segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Foco: Fase de grupos




Autor de um dos gols da vitória de ontem, o atacante Guilherme falou sobre o futuro do Botafogo no Brasileirão:

"- Agora que chegamos temos que permanecer. Estamos próximos do G4 também. Vamos com o pensamento de jogo a jogo, mas com ambição. Essa é a característica do nosso time ".

É bem isso mesmo! Nada de ficar focando G6. Depois de falhar nas retas finais da Copa do Brasil e Libertadores (não marcando nenhum gol nos quatro jogos decisivos), o Botafogo não pode querer menos do que uma vaga direta na fase de grupos da próxima Libertadores.

Nada de fases preliminares.

Agora é partir com tudo pelo G4.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

40 comentários:

Ivo Santos da Costa disse...

Podem me chamar de maluco, mas eu tô mirando é no título, é uma coisa pessoal nada contra o time que pensa no G4, e nem contra quem pensa da mesma forma, mas eu penso o seguinte, se times, que estão apenas a três pontos de nós, pensam em título, porque nós não podemos pensar.

Rodrigo Federman disse...

Ivo, eu já acho impossível.
Abs e SA!!!

Celso Ricardo disse...

Posso até achar o Ivo maluco. Mas ele tem razão...

WAYNE disse...

Saudações Alvinegras.
Mesmo com a mesmas mesmices, ROGER; MARCUS VINICIUS; GUILHERME; LINDOSSO, ganhamos.
A sorte esteve com o BOTAFOGO, tinha faltado contra o GREMIO.
Abs SA

Leone Gomes disse...

Rodrigo, particularmente não acho tão impossível sonhar com a primeira colocação não, na próxima rodada terá confronto direto entre Cor x Cruz e Pal x Sant enquanto isso nós pegaremos em casa o Vitória, se ganharmos e dependendo da combinação de resultados já entramos no G4, sem contar que nossos próximos quatro confrontos são contra times ruins/irregulares e que da pra engrenar uma sequencia excelente igual ao ano passado... to com o Ivo, ainda sonho com coisas maiores pra esse Botafogo, mas se não der também não ficaria surpreso!
Mas é fato que menos que G4 é inaceitável!!!

Abs e SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Possa crer, Celso.

Wayne, mas contra o Grêmio também faltou competência.

Leone, prefiro nem cogitar essa hipótese. Até mesmo para depois não haver outra frustração. Infelizmente quando empolgados, eles vacilam.

Abs e SA!!!

VinnyMarques disse...

Uma coisa me chamou atenção ontem. Roger e Guilherme não comemoraram seus gols. Será que as críticas chegaram neles? Lembro que quando cornetávamos o Jair, ele respondeu numa entrevista coletiva. Nervosinhas e arrogante... Fiquei curioso.

Anônimo disse...

RODRIGO,concordo plenamente,sem frescuras de poupar e sem INVENÇÕES do TLP,rumo ao G4.
Avisei esses dias ao amigo que a turminha que cerca o JV iria lançar factoides sobre interesse de vários clubes e blá,blá,blá.
Hoje já começaram,veja o título de um Blog:"Jair Ventura é o primeiro nome do Atlético-MG para a próxima temporada,diz blog".
Só espero que o CEP e a diretoria não me venham com loucuras financeiras para mante-lo.Não sou favorável a troca de treinador a cada derrota.Mas caso o JV queira dobrar ou triplicar salário PODE VAZAR,não fará falta.Escolham um nome no mercado,chama para uma conversa e sejam bem claros,tipo,não temos grana para contratar craques nem seus indicados,faça o feijão com arroz,o plantel é esse e atenção aos garotos da base.
De preferência que não seja uma dessas PUTAS VELHAS,quase sempre empatotados e que se acham acima do bem e do mal.JOTA.

Rodrigo Federman disse...

Vinny, dois babacas. Não comemorar é desrespeito com sua torcida.

Jota, e tenho sérias dúvidas se ele vinga em times mais qualificados. Até porque, acho que ele é do nível do nosso time. Ou seja, médio.

Abs e SA!!!

LUCIANA DO PORÁ. disse...

Bem, vç tem razão puro desrespeito, tanto quanto aos dois incompetentes, tb como sua opinião da saída do JAIR para ATLÉTICO MINEIRO. O JOTA tem que baixar a bola, apesar de alguns deslize é melhor com ele de que sem ele.
Abs SA

Ivo Santos da Costa disse...

Também achei uma total falta de respeito com a torcida a não comemoração dos gols.

Marcio disse...

Essa escalação do Gilson foi completamente estapafúrdia, totalmente fora de lógica.
Uma outra coisa que chamou a atenção foi o não aproveitamento do Valência, nem de saída e nem com o jogo em andamento; depois irão justificar o seu não aproveitamento com a conversa de que não treina bem... Como alguém pode se manter motivado vendo um jogador entrar improvisado constantemente em uma posição que há jogadores disponíveis?
Quanto ao resultado, digo que foi excelente e faz lamentar ainda mais os muitos pontos deixados pelo caminho; poderíamos estar em uma posição muito boa e brigando de fato pelo título.
De resto, cabe ao BOTAFOGO pontuar o máximo possível e ver ao final do campeonato o que vai conseguir.
SA!!!

Leonardo13 Germano disse...

Boa tarde, Rodrigo!

Acho que pensar em titulo nao é loucura, mas concordo que para a gente, pensar nisso, mais atrapalha do que ajuda. Mais frustracao, cobranca e os atletas nervosos. Todavia, tenho certeza que o Corinthias vai desacelerar e haverá disputa pelo título (Gremio, Palmeiras e Santos, já que não acredito que tenhamos este fôlego) até as últimas rodadas.

Jair Ventura, ontem, escalou o time de forma horrivel! Indesculpável entrar como time pequeno contra o Coritiba desfalcado e no Z4. Mas Jair realmente acha que as mudancas geniais no segundo tempo foram uma grande jogada de mestre. Odeio treinador que erra e depois se vangloria por ter concertado a cagada.

Jair tem que entender que Gilson nao é Diogo Barbosa e nesse ano essa "dobradinha" de laterais não deu certo nenhuma vez. Contra o desequilibrado e freguês Galo, ganhando de 2x0, o contexto é totalente diferente.

Com relação a Leo Valência, algo me diz que houve problema extracampo. A aguardar...

Rodrigo Federman disse...

Luciana, é a sua opinião. Que besteira falar que há desrespeito por não achar o JV esse suprasumo que muitos acham. Como se ele fizesse um trabalho filantrópico no clube...

Possa crer, Ivo.

Marcio, até agora não entendi também.

Leonardo, eu acho. Título é algo ainda muito aquém para pensarmos hoje.

Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Era para estar comemorando uma vitória importante, que, bem ou mal, coloca o clube em busca de um objetivo minimamente aceitável para o ano, qual seja, a classificação para a Libertadores já na fase de grupo.
No entanto, não dá para celebrar equanto persiste a frustração por ter sido eliminado de duas competições da forma acovardada e/ou incompetente como as coisas aconteceram. Por outro lado, não consigo comemorar uma vitória quando vejo emergir aquela prepotência que caracteriza os incompetentes. O que vi ontem foi um show de desacertos, conquanto a vitória tenha nos sorrido ao final. A reação do tal de Roger e a do outro fulano de tal quando fizeram os gols foi de dar raiva dos caras. A cara do JV à beira do campo revela um sentimento de frustração extrema quanto aos resultados na Copa do Brasil e na Libertadores. Escalar Gílson no meio de campo preterindo o Leo Valencia foi de doer. Alguma coisa está acontecendo lá nas internas. Vamos aguardar.
Por mim, esse Roger não jogaria mais no Botafogo por mais um minuto que fosse. “Ah, mas ele fez o gol de empate...”. Sim, fez, mas qualquer cabeção teria feito o mesmo e duvido que um outro cabeção tivesse perdido aquele gol quando ainda estava zero a zero. Menciono ainda o festival de incompetência desse sujeito demonstrado ao longo dos 360 minutos de decisão, nos quais ele só fez atrapalhar o que o time tinha de bom. Por fim, ficou-me a impressão ontem de que nem o JV e nem os jogadores queriam vencer o Coritiba, ressalvadas, claro, duas ou três exceções dentro de campo.
Tenho para mim que o ano acabou para esses caras. Não vão colocar os pés nas divididas. Estão frustrados, estão ainda de ressaca. Não têm mais ímpeto para buscar algo de substancial. Devem estar loucos para o ano terminar de fato. Se vier a classificação, ótimo. Mas se não vier, creio que esses caras já ligaram o fo@#da@#se!
Título no brasileirão? Eu acreditaria ainda se não tivesse perdido para o Avaí e para o São Paulo. Mas já jogaram a toalha.
Outro dia, um amigo aí comentou qualquer coisa sobre o Botafogo ser grande apenas nos nossos corações e nas nossas memórias. Sinto desapontar um ou outro, mas ele tem razão. Enquanto seis ou sete clubes Brasil afora ostentam títulos internacionais de relevo e alguns campeonatos nacionais e copas do Brasil, o Botafogo, há muito, se contenta com um ou dois estaduais por década (quando foi o último mesmo?, ah, sim, em 2013...), dois campeonatos brasileiros (o dos anos 60 veio com uma canetada – paramim, o campeonato brasileiro começou somente em 1971, quando perdemos o triangular final) e uma Sul-americana, quando ainda se chamava Conmebol e que nem sequer servia para se qualificar para a Libertadores, embora aquele título tenha me feito feliz, dadas as circunstâncias peculiaríssimas em que foi conquistado sob a lidrença do Carlos Alberto Torres.
Essa mentalidade no Botafogo tem de mudar para ontem. Aproveitar o que se fez de bom durante o ano. Nada do tal de “RECOMEÇAR DO ZERO”, como já ouvi falar por aí. Caso contrário, iremos nos acostumando à ideia de que é só isso mesmo e isso cansa, sério! Cansa mesmo e me leva a perder gradativamente o interesse pelas coisas do Botafogo.
Parece que fiz um texto de final de temporada...
Ah, sim!, FORA ROGER!
Levi

Rodrigo Federman disse...

Levi, fecho contigo. Precisamos urgentemente mudar a cabeça e pensamento de GS. Chega de conformismo. Caso contrário, nossa sina será mesmo comemorar apenas campanhas surpreendentes. Títulos, não mais. Precisamos mudar para ontem, como você bem disse.
Abs e SA!!!

Enéias Teles Borges disse...

Rodrigo e amigos,

Sou leitor assíduo da coluna do Tostão. Eu o considero o melhor comentarista do futebol brasileiro. Esteve em campo é muito culto, não idolatra ninguém e não se mete em politicalha. No comentário desta semana, falando do Botafogo, ele disse tudo o que temos comentado aqui. Time muito organizado, mas que peca pela ausência de talentos. Jogadores que driblem e que façam algo diferenciado.

O que gostei mesmo foi o que ele disse sobre a torcida e o time. Que o Botafogo reconquistou o seu espaço no Brasil e no exterior.

Quero destacar isso. Jamais jogar para fugir do rebaixamento. Temos que entrar mirando a ponta. Pensando assim, até com um time mediano fizemos um 2017 digno.

Eu digo a vocês o seguinte: a se confirmar o nosso CT, estaremos entre os que sempre entrarão para vencer. Equilíbrio financeiro e base forte.

Como humildo sócio torcedor a distância, pago a minha mensalidade com muito orgulho. Não faço campanha. Faço a minha parte.

Este ano o Botafogo me encheu de orgulho e esperança.

Espero que o CEP faça o sucessor. Time bom começa por um presidente honrado e competente.

SA

Marcio disse...

Se não mudar a mentalidade, não adianta dinheiro e grandes contratações.
SA!!!

Ivo Santos da Costa disse...

Concordo com tudo o que o Levi falou, só trocaria o FORA RÓGER, por FORA MATHEUS FERNANDES.

Rodrigo Federman disse...

Enéias, a continuação dessa gestão é de vital importância mesmo.

Exato, Marcio.

Ok, Ivo.

Abs e SA!!!

Edson Luiz Santos disse...

Hoje, estou muito assoberbado, tivesse mais tempo..... Gostaria de saber como e quando você, Rodrigo Federman, e o colega Levi se tornaram botafoguenses.
As opiniões a respeito do futebol e clubes são extraordinárias, Ontem, assistindo a mais um jogo do Glorioso, fiquei comovido com a atitude dos atacantes Roger e Guilherme, nem sei, pela distância, se há sinceridade, mas achei bem legal. Agora, lendo os comentários dos colegas !!!!!
Ah! Estou, desta vez, com o mesmo sentimento do Ivo Costa!!!
Saudações alvinegras!
Edson Luiz

Rodrigo Federman disse...

Edson, não entendi muito, mas sou Botafogo desde que me conheço por gente. Rs
Abs e SA!!!

Guga Vide disse...

Acabej de revisar as probabilidades de ser campeão que tem o Fogão e outros times, publicadas pelo departamento de matemática e estatística da minha universidade, a UFMG. Quase uma em cinquenta que seremos campeões. Impossível não é! Corinthians com 80% e Palmeiras em segundo com 7%.


Rodrigo Federman disse...

Guga, impossível não é, mas era muito mais fácil ser campeão da CB e Libertadores do que agora ser no BR. Por isso prefiro nem sonhar.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

"O Botafogo teve negado pela Justiça do Rio de Janeiro o embargo de declaração contra a ordem de execução de dívida com o ex-jogador Rodrigo Beckham. Há duas semanas, a 36ª Vara Cível determinou a penhora de R$ 8.034.004,37 a ser realizada em crédito clube através da 11ª Vara Federal de Execução Fiscal.
Rodrigo Beckham briga na Justiça há 13 anos para receber salários atrasados do período em que defendeu o Alvinegro, entre 1999 e 2001, na gestão de Mauro Ney Palmeiro."

https://globoesporte.globo.com/blogs/bastidores-fc/post/botafogo-tem-pedido-negado-de-embargo-de-penhora-de-r-8-mi-com-ex-jogador.ghtml

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Marcio.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Voltando à mudança de mentalidade, não podemos nos esquecer que no passado preferiram um nadador ao Gerson Canhota,Lider, Craque e responsável por inúmeros títulos.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Verdade, Marcio. Vocação para o erro.
Abs e SA!!!

Leonardo13 Germano disse...

Perfeito. Irretorquível!

Leonardo13 Germano disse...

O colega Levi externou uma verdade que nos machuca, mas é um fato. Botafogo é um time tradicional, mas não tem conseguido se impor como time grande.

Levi, complementando as estatisticas por vc mencionadas: ganhamos 3 cariocas em 18 anos. Desses, um foi contra time pequeno (2006). De lá para cá, tivemos mais oito finais e perdemos seis, inclusive duas vezes swguidas para o Vasco que caiu e para o mesmo Vasco da série B 2015 e 2016.

Copa do Brasil de 1999 para cá, nem se fala. 2007 para o figueirense, que perdeu a ginal para o fraco Fluminense. 2008 para o Corinthias da serie B, sendo o sport campeao.

Eu acho que aqueles que realmennte se orgulham pela campanha de 2017 (eliminado nas semi do carioca e copa do brasil pelo maior rival, libertadores eliminado e agora há 14 pontos do líder do campeonato brasileiro) talvez tenham uma compreensao melhor do nosso atual momento. Eu, por ilusao ou nao, acredito que time grande comecora quando é campeao. Time médio comemora boa campanha.

A mentalidade da torcida e diretoria contaminam o clube e jogadores. Isso explica jogar com medo contra o Framengo, com quatro volantes contra o Gremio mesmo sem nenhuma necessidade, e entrar com 4 volantes e dois laterais esquerdos contra o Coritiba, que luta no Z4.

Espero, sinceramente, que mudemos a mentalidade do clube. A mudanca de atitude e postura é fundamental!

Abraços!

Rodrigo Federman disse...

Leonardo, infelizmente é a nossa realidade atual.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

RODRIGO,já que a Sra LUCIANA falou bobagens a meu respeito,gostaria de perguntar a ela se sabe interpretar texto? Caso soubesse,não me mandaria baixar a bola em relação ao JV,pois em momento algum disse que ele deveria ser demitido.
Prezada participante do Blog,por favor leia com atenção para não ser lida.
Caso você goste tanto e admire o trabalho do JV,é um direito seu inquestionável.
Por mim,pode levá-lo para sua casa e homenageá-lo com uma festa de desagravo,garanto que ele vai adorar.JOTA.

Rodrigo Federman disse...

Fecho contigo, Jota.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Eu fiquei ontem no primeiro tempo com a batata assando do Jair,realmente a escalação inicial foi de uma infelicidade tamanha, quanto as eliminações da copa do Brasil e Libertadores, Copa do Brasil não tinha o que escalar 04 volantes;pois o Marcus Vinicius e o Valença não estava inscrito e contra o Grêmio foi novamente uma infelicidade do treinador de escalar o Matheus Fernandes como titular, era jogo para ter iniciado com o Léo Valença,acredito que estão querendo vender para fazer caixa e 2018 promete ser difícil,teremos aumentos nas parcelas do Ato Trabalhista e profurt e as dividas civis que já começa a pipocar, dividas que não tem o que fazer a não ser pagar; pois os credores está todos pensando que o clube está rico.
Quanto ao Jair é um técnico que tem muito o que aprender e fazer sucesso na sua carreira,acredito que foi um achado do clube; já que o Espinosa,Joel Santana,Osvaldo Oliveira,Dé e vários outros está recebendo dinheiro do clube por demissões irresponsáveis e olha que não conseguiram grande coisa no clube,quando vejo a escalação do botafogo as vezes dá calafrio e o Jair tem muito crédito no sucesso da equipe,Não deixamos de reconhecer.
Jair tem contrato até o próximo ano e quem pretender contratar é só pagar a multa e levar.
Não chegando a elogiar o Jair,mais tem muitos anos que o botafogo fez uma campanha superior a essa, ele tem seu mérito.
Agora reciclando os comentários anteriores, mereceu destaque, o que Tostão falou que o Botafogo precisa urgente contratar jogadores, que desequilibra com qual dinheiro não sei?
O Ivo tá correto, Matheus Fernandes tem futuro mais no meu time, não seria titular neste momento.
Botafogo não é de hoje que não consegue títulos,mais para um time que estava praticamente aniquilado a recuperação foi muito rápida.
Esse time realmente é mediano, um time com vergonha na cara,talvez a falta de comemoração nos gols de ontem deve ter sido feito por isso.
Tenho restrições ao Jair, a campanha do segundo turno com 05 vitórias e 01 derrota, um time com Arnaldo,Lindoso,João Paulo,Pimpão e o próprio Roger é quase um sonho essa campanha.
Estava assistindo o jogo do Grêmio contra o Botafogo e tinha um torcedor gremista e fiquei puto com a bola que o Roger furou;ai o gremista próximo a mim falou,Roger ganha quanto? o Barros ganha 600 mil reais por mês,vocês podem pagar esse salário, eu calei na hora.
Enquanto o clube não tiver um patrocinador para colocar o clube no colo não vejo uma saída para ter um time melhor que esse a não ser um presidente como o anterior.
Precisamos vender jogadores e pelo que o Jair falou; já tem jogador negociado, será que essa titularidade do Matheus Fernandes; já não existe alguma negociação em andamento.
Time conseguiu empolgar até nossa torcida que acordou chegando a 36.000 sócios,sem Seedorf é quase um milagre.

Marcos

Anônimo disse...

Não alcancei o sentido da tentativa de se estabelecer um liame entre escrever o que escrevo a respeito dos jogos do Botafogo e da realidade do clube no que concerne à importância e peso dos títulos que conquistou e o marco temporal a partir do qual "me tornei botafoguense".
Não obstante a minha falta de compreensão entre A e B, digo que me tornei botafoguense 40 minutos antes da fundação do universo. O ritual que corroborou este fato de natureza metafísica se deu quando eu tinha, sei lá, seis ou sete anos de idade.
Explico.
Meu pai, vascaíno, sem que com isso muito se importasse, tentou fazer de mim um torcedor do clube da Cruz da Ordem dos Cavaleiros de Cristo do Reino de Portugal. Nota à margem, não é Cruz de Malta. A Cruz de Malta se liga intrinsecamente à Ordem dos Cavaleiros Hospitalários de São João, instituição muitas vezes secular e que tinha como missão precípua o estabelecimento de um hospital nas terras de Jerusalém, para atender aos que atendiam aos proclamas dos próceres da Igreja Católica, convocando os cristãos europeus para a retomada da cidade santa, tomada pelos sarracenos. Criança ainda, não me empolguei pelo desenho da camisa (claro, 40 minutos antes da fundação do cosmo o meu destino já houvera sido traçadao...
Um vizinho, vendedor de cocada na para a criançada da rua e torcedor de um clube conhecido como sendo o "o time da massa", para sacanear meu pai, às vezes fornecia, de graça, o doce para os moleques, numa tentativa de fazer com que nós, petizes ainda, torcêssemos para o referido clube. Meu irmão resolveu torcer, sponte propria, para um outro clube que deveria estar disputando a segunda divisão.
O tal "clube da massa" tomou um três a zero do Bangu na final do campeonato estadual de sei lá qual ano. Não me lembro mais. Sei que o sujeito da cocada foi devidamente vilipendiado até o fim de seus dias.
Um Anjo do Senhor, adrede preparado desde 40 minutos antes da fundação do universo, chegou-me em sonho e me mostrou a camisa do Botafogo de Futebol e Regatas. Roberto Miranda, Paulo Cesar Lima, o Caju, Jairzinho, Rogério, Gérson... Minhas primeiras referências do clube que me escolheu como torcedor 40 minutos antes da fundação do Cosmos...
Meu pai, vivo ainda e saudável, do alto dos seus 85 anos de idade, a despeito das vicissitudes que a vida lhe impôs, permanece torcedor do clube que ostenta a Cruz da Ordem dos Cavaleiros de Cristo do Reino de Portugal.
Esse mesmo meu pai me ligou no dia em que o Botafogo se sagrou Campeão Brasileiro naquele dezembro de 1995 frente ao Santos FC somente para me cumprimentar pelo título e compartilhar a minha alegria naquele dia inesquecível.
Eis aí como me tornei botafoguense, 40 minutos antes mesmo da criação da existência.
Mas eu ainda não entendi a pergunta...
Levi

Rodrigo Federman disse...

Marcos, ele tem seus méritos, reconheço. Mas apenas acho que dão muito mais do que merece, quando em minha opinião, os jogadores quem fazem a maior diferença.

Ahhahaha. Levi, depois dessa incrível resposta, a pergunta não importa nada. Rs

Abs e SA!!!

PAULO FERNANDO DE MELLO TAVARES disse...

Existe um vácuo enorme entre a história do Botafogo, suas glórias e a atualidade. É o único time que consegue ser gigante em algumas coisas e pequeno em outras. Somos gigantes em craques e pequenos em títulos. Somos gigantes em paixão e pequenos em torcida. Isso faz com que nossas expectativas sejam gigantes, mas os resultados pequenos. Daí nossas frustrações e principalmente a "velha guarda" (e me incluo nela com meus 55), pois tivemos a honra de ver o gigante. Mas infelizmente vimos a queda também e com ela uma certa melancolia.
Sendo menos analítico e mais pragmático, acho que não temos outra alternativa do que essa diretoria está fazendo: crescimento lento e sustentável. Está criando, aos poucos, uma base para crescer ao mesmo tempo que lida com desafios "gigantes" (olha a palavra aí de novo, só que com outra conotação). Penhoras, profut, dividas do ato trabalhista são desafios de décadas e só uma coisa muda isso: aumentar a arrecadação.
Da parte técnica é isso mesmo, muito pulmão e pouca inspiração e nesse contexto vamos sofrer com jogadores como o Roger, Guilherme, Lindoso, Dudu, Arnaldo, etc...mas é isso o que temos para hoje e sinceramente acho que para esse tipo de filosofia o JV é bem adequado. Não se iludam: time com craques para disputar título só se pintar na base e qualquer coisa fora disso é um sonho bom, mas fora da realidade. lamento também, mas é isso!

Rodrigo Federman disse...

Possa crer, Paulo. Concordo. Mas para um dia o cenário voltar a ser favorável, precisamos mudar o pensamento dentro do próprio clube. Pensar grande não custa.
Abs e SA!!!

PAULO FERNANDO DE MELLO TAVARES disse...

Sim Rodrigo, jamais parar de pensar grande e com objetivos claros. O problema sempre é que dependendo do gestor o planejamento e a prática não falam a mesma língua ou o novo desfaz o que o velho fez. A união política no clube é fundamental. Veja só o que o nefasto M.A. fez no clube! Ficou 2 mandatos e demoramos 4 anos para ver as besteiras que fez?!?
Essa diretoria parece ter conseguido essa união, já que sequer oposição tem tido e os exemplos de boa gestão parecem ter contaminado a política do clube, bom sinal! Espero que a continuidade com o Mufarrej (...e não vejo sequer alguma chance de isso não acontecer) mantenha os pés no chão e sempre pensando que o ano seguinte tem que ser melhor que o ano anterior. 2016 foi o ano do retorno, ano que ressuscitamos das cinzas. 2017 já foi um ano que mostramos que além de ressuscitarmos estamos vivos! 2018 tem que ser um ano de luta por conquistas e efetivar ao menos 1 delas. Não existe garantia disso, são ao menos 13 clubes com mesmos objetivos e tão grandes como nós, mas "faca na caveira"!

Rodrigo Federman disse...

Sim, Paulo. Concordo contigo nesse ponto.
Abs e SA!!!