domingo, 15 de outubro de 2017

Meia razão




Quase todos jogadores botafoguenses ficaram inconformados e foram reclamar com o árbitro após o apito final. O atacante Rodrigo Pimpão falou sobre os lances polêmicos na derrota de ontem:

"- Se for para usar os critérios têm que usar para os dois lados. Tiveram duas ou três bolas na mão. No meu lance com o Madson foi bola na mão. Depois fora da área foi falta. Tenho que ver na televisão. Ele deu cinco minutos de acréscimo, mas o jogo ficou parado por três minutos".

Concordo principalmente quando avaliamos que a arbitragem brasileira não tem critério algum. Aposto que 50% dos "apitadores" marcariam os pênaltis e outros 50% seguiriam o condutor do clássico de ontem. Quanto a isso, é inquestionável o que o Pimpão comentou. Agora, em minha opinião, repito: Achei que todos os três lances polêmicos foram bem apitados pelo "homem de amarelo".  Me irritou mais o que o RP lembrou sobre a péssima condução dos minutos de acréscimo. Aí sim, erro crasso que nem precisa de replay para criticar!

De todo modo, não podemos tapar o sol com a peneira. Perdemos porque o time não vem atuando bem, não tem variações táticas e falta muito talento do meio para frente.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

24 comentários:

Anônimo disse...

Ricardo
Bom dia!
Concordo plenamente e fico preocupado com a intenção de manter comissão técnica e o mesmo elenco para o próximo ano.
Bom domingo....

Marcio disse...

Gostaria de saber, mesmo que não falem publicamente, se estão avaliando as atuações da Equipe, individualmente e/ou coletivamente. Jogando mal, o BOTAFOGO vencerá algumas partidas, só que estará sempre mais perto dos empates e derrotas.
Parece que o BOTAFOGO está somente cumprindo tabela no brasileiro, esperando o fim da temporada, após ser eliminado da Libertadores.
Aliás, o discurso de dezembro já deve estar preparado; "Nunca chegou tão longe na Libertadores e Copa do Brasil" e, caso se classifique para a Libertadores 2018, acrescentarão o "Nunca se classificou duas vezes seguida para a competição continental".
SA!!!

Anônimo disse...

Ricardo
Caros,depois da noticia de hoje:Roger quer entrar pra política.
E nojento que uma pessoa use a filha cega e um possível câncer para almejar um cargo político.
Sdd

WAYNE disse...

Bom dia.
Realmente o PIMPÃO teve razão em falar do arbitro (paulista) é dose escalá-lo contra um jogo em que a supremacia dos clubes de São Paulo estava presente. O único clube que
podia interferir é o nosso FOGÃO. Fora disso vem a pergunta que não se pode calar, pq que mais uma vez a AV JAIR se apresentou sem o possível fechamento e é sempre IR tentar o combate e o CARLY moroso no lance. O cabeça de área fez a ausência sentida.
JAIR é cego todos nós vimos que o atacante se deslocou para o centro da area e era o único com o poder de decisão e ainda teve a sorte dela resvalar no moroso CARLY. Não tiro o desmérito do nosso TECNICO. Bem se na verdade formos verificar os que ajudadaram que o LANCE tivesse êxito, o lateral abaixar a cabeça e partir feito uma vaca braba, é dose, perdendo a bola é correr risco calculado o que ocorreu.
Clássico se decide em detalhes, e ai....
Em tempo, mais um sábado triste vendo a MESMICE...
Abs SA

Marcio disse...

E há um outro fato que precisa ser questionado e tem passado meio batido, que é o sistema defensivo. São 30 gols sofridos em 28 jogos, média de 1,07 gol/jogo, o que mostra que no momento, jogar com três ou quatro volantes não está trazendo resultados satisfatórios.
Assim, todos os jogos ficam no discurso de que tiveram posse de bola e pecaram no "terço final" e escondem o que de ruim acontece.
Equipe alguma consegue objetivos maiores média alta de gols sofridos.
Como exemplo, sofremos 4 gols do São Paulo, 5 gols do Vitória (dois jogos) e 4 gols do Coritiba (2 jogos), um total de 13 gols sofridos; fizemos 3 gols no São Paulo, 4 gols no Vitória e 5 gols no Coritiba, um total de 12 gols feitos.
Isso ajuda a explicar porque conquistamos somente 5 pontos em 15 disputados, 33% de aproveitamento.
E o "terço inicial"?
SA!!!

Jonas disse...

Fala Rodrigo.

Tirante faltas gritantes, visíveis, que alguns árbitros mal intencionados apitam ou deixam de apitar, o restante é questão de interpretação. Aqui mesmo no blog, uns acham que foi, outros não. Tu

A bem da verdade, o Botafogo não tem jogado nada. É um tal de passar bola para o lado, sem efetividade nenhuma. E quando tentam, tentam e não conseguem se infiltrar, acabam alçando bola na área. Essa é única jogada do Botafogo.

Também vejo no discurso do JV, falta de ânimo. A única a realidade é mais um ano sem ganhar nada, e o discurso para o ano que vem é pior.

Dá vontade de desistir, mas vamos segurando a onda; 23 anos.

Abraço e SA.

Anônimo disse...

Deixando momentaneame a distância que estou guardando do Botafgo e dos comentários, até que a verdadeira meta do Validade Vencida seja alcançada, isto é, somar os 47 pontos..
Sim, de novo, o time é ruim e pessimamente treinado. Sim, não temos atacantes e o melhor dos nossos meio campistas, o Leo Valência, está afastado, sabe-se lá em razão de quais insondáveis mistérios. Sim, esse JV já deu! Encheu o saco e não sabe propiciar um jogo alternativo. "Arma" o time de um jeito somente e não há nada de novo sob o sol de General Severiano. Estou com o JOTA: pode vazar, pois chegou no ponto de saturação.
No entanto, não consigo me conformar quando a arbitragem decide o jogo e ontem foi assim. Não sou dos que costumam reclamar dos apitadores, mas ontem fomos prejudicados. No lance do gol, fulano de tal levou a bola com a mão sim. Tanto assim foi, que o sujeito do apito ficou na dúvida quando da jogada. Foi pusilânime, frouxo, acovardado. Era para ter marcado falta. Nos anos 70, o nosso bravo Búfalo Gil, ponta direita (ainda existiam), fez um gol no mesmo adversário de ontem, num lance em tudo semelhante ao do jogador deles, cujo nome me escapa. Sua Senhoria da época foi lá e anulou nosso gol.
No lance do pênalti, embora eu tenha dúvidas sobre se realmente foi falta, deixo no ar uma pergunta semi-retórica: fosse na nossa área e soprador de apito tivesse marcado a penalidade, estaríamos nós reclamando ou teríamos nos confirmado com a marcação?
Odeio perder, mas perder em razão de uma arbitragem no mínimo orientada por um duplo padrão me irrita mais ainda.
Estou com o JV! Aguardo os 47 pontos e, caso venha uma Sulamericana, ou, no limite, um pré Libertadores, farei um discurso grandiloquente de auto-exaltação, nos moldes e nos parâmetros desse ctetino.
Fora JV!

Anônimo disse...

Rodrigo e turma.
Vamos à realidade. O Botafogo achou um modo de jogar que funciona em algumas circunstâncias. São as chegadas rápidas ao ataque, quando entregamos o domínio da bola ao adversário e este se atira com tudo. Isto funcionou muito bem, principalmente quando o rendimento do Pimpão e do Bruno Silva estavam no máximo. Não é o caso agora.
E as variações? Bom, aí está o problema.
Quando se pega um adversário do tipo mais ou menos retrancado, como o esquema do Zé Ricardo (muitas vezes os 10 atrás da linha da bola), ficamos com o domínio da bola, com a posse, mas não temos opções de rompimento. Aliás, no futebol brasileiro poucos têm essas armas. Tanto é assim que as estatísticas estão a comprovar que os times de futebol reativo estão ganhando a maioria das partidas. O Corinthians é o maior exemplo. E convenhamos, não é fácil mesmo entrar na área de um time que coloca 10 atrás da linha da bola. Não é fácil entrar na zaga do Corinthians, como não é na do Atlético de Madrid. E não será na defesa do Vasco, com o esquema que começou a ser utilizado.
Na verdade, o esquema de jogo do Botafogo foi ditado pela condição do que temos em termos de jogador. Se tivéssemos um Everton Ribeiro, um Guerrero e Gabriel Jesus seria uma tremenda burrice jogar na base do reativo. Mas tendo Pimpão, Roger, Brenner, Guilherme, Tanque e Pachu só podemos usar de tal esquema tático.
Nessa condição, quando o adversário se fecha atrás, temos dificuldades. Incontornáveis, porque individualmente os jogadores do meio pra frente não são capazes de cavar oportunidades pra si mesmos.
Independentemente dessa dificuldade, acho que o time poderia praticar algumas variações mesmo com o que tem (explorar algum setor mais frágil do adversário, fazer superioridade numérica em algum setor de campo, etc).
Enfim, penso que com esse perfil de atletas não vejo como outro treinador possa fazer melhor do que Jair Ventura faz, pois tira o máximo de esforço deles e tem o grupo nas mãos. Tenho curiosidade é pra ver o Jair ser dotado de melhor material humano.
Por tudo isto, acho que trocar por trocar treinador seria a pior ideia do mundo.
Sds
Paulo, de POA

Anônimo disse...

Esse Rabelo é molenga demais, Luis Fabiano no outro jogo jogou ele na lateral e deu para o cara fazer o gool, ontem o Nenê que tem idade para ser pai dele, ganhou na força fisica, uma vergonha de um zagueiro de quase 02 metros de altura e perder para um cara quase aposentado.


Marcos Antonio

Ricardo Rocha disse...

Rodrigo,meu nobre. Respeito demais sua opinião mas não tenho a menor dúvida nos pênaltis cometidos e na condução da bola com a mão, pelo Nenê. Esse papo de interpretação é pra escolher a quem ajudar.
Fomos sim prejudicados escandalosamente. Esses jornalistas de merda que enfiem esse papo de interpretação naquele lugar.

Sergio Di Sabbato disse...

Faço coro ao comentário do Celso,pois quando é contra o Botafogo os sopradores não titubeiam e os venais comentaristas sempre concordam. Até bola no peito do MF foi penalti contra o Botafogo e quem comentava disse que não dava pro juiz ver direito ou então penalti fora da área como contra o Coríntians. E o que dizer do 2º gol que o Botafogo levou contra o Grêmio em que o jogador gremista aparou com a mão e qual foi o comentário? Difícil para o árbitro ver o lance. E aquele imbecil que fica atrás do gol, serve para que?
Apesar das arbitragens serem sempre muito "interpretativas" em relação ao Botafogo, não há como negar que o time do Botafogo é fraco e culpar o JV sempre pelas derrotas é querer tapar o sol com a peneira. Concordo que ele comete erros bobos nas escalações, substitui mal, mas eu duvido que alguém consiga ensinar um jogador a saber o que fazer com a bola. Certa vez o Zagallo falou sobre isso, dizendo que ele não tinha como dizer ao jogador qual é a melhor opção de passe de conclusão. O que ele Zagallo podia fazer era tentar fazer com que os jogadores cumprissem um esquema de jogo. O genial Nílton Santos sempre dizia que quem ganhava ou perdia os jogos eram os jogadores, o que não quer dizer que o técnico não tenha importância, mas eu diria que é uns 15 a 20%. Bota o Mourinho pra treinar o Madureira e quero ver se vai ser campeão, nem no carioca.
Nesse ponto concordo com o comentário do Paulo de POA, foi perfeito, assino em baixo. Me lembro sempre quando vejo times retrancados do comentário do J. Saldanha a esse respeito: para desmontar esse tipo de marcação o mais recomendável é a jogada individual, o drible, pois esse desmonta a defesa. Eu pergunto: quem nesse elenco do Botafogo tem essa capacidade? Os caras não conseguem acertar passes simples, o que dirá driblar. Só se baixar o espírito de algum grande craque, porque nesse elenco atual tá flórida. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Ricardo, e a maioria do elenco também.

Marcio, os discursos já estão prontos e preparados caso algo de errado. De der certo, dirão que foi tudo planejado. Heheheh

Wayne, só não concordo com a dúvida sobre a arbitragem apenas por ser paulista.

Clóvis, o mais importante é o que você frisou e não pode passar batido: O Botafogo tem jogado muito mal.

Hahaha. Levi, ele já anda lembrando que em 100 anos o Botafogo nunca disputou duas Libertadores seguidas. Ou seja, logo vai cobrar uma estátua. Rs

Sim, Paulo. Mas cadê o treinador para trabalhar situações diferentes. Não podemos ficar reféns de um único jeito de atuar. Muito menos repetir sempre as mesmas substituições.

Marcos Antonio, ele atua bem quase sempre. Mas quase sempre comete um vacilo por partida também.

Celso, o respeito é recíproco e o amigo sabe disso. Ainda assim, concordo com as marcações do árbitro.

Sérgio, isso é relativo. Pois mesmo o time sendo limitado, há como ao menos trabalhar situações novas, ensaiadas, etc. E isso é incumbência do treinador.

Abs e SA!!!

MARIO DO PARÁ disse...

PQP sempre O IGOR RABELO, vai tomar um BANHO DESCARREGO, ou é falta de técnica.
Abs SA

Ricardo Rocha disse...

Perdemos um grande número de pontos para clubes que lutam contra o rebaixamento. Alguns de maneira incrível. Isso não é elenco fraco, é falta de planejamento, de estudar o adversário. A impressão que esse grupo, comandado por Jair,passa é de que as vitórias são muito mais pessoais do que do Botafogo. Basta ver a maioria das declarações deles, apoiadas pela imprensa podre e suja e que , infelizmente, grande parte da torcida compra.

Rodrigo Federman disse...

Mário, não vejo como falta de técnica.

Celso, penso igual a você.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Guilherme na vaga de Pimpão (Jogo frente à Chapecoense)

O Pimpão ficou alguns dias sem treinar. O futebol é feito de oportunidades. E o Guilherme treinou muito bem nesses dias. Resolvi dar uma chance para ele. Sempre entra muito bem. Não sou eu que escalo o jogador. Eu não deixo vocês assistirem os treinos, então não sabem quem está se destacando. Mas ele vem treinando muito bem.

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/jair-pede-apoio-a-tanque-e-oferece-vitoria-a-roger-logo-estara-conosco.ghtml

Somente no futebol é que tem essa baboseira de que somente quem acompanha os treinamentos tem condições de avaliar um jogador.
Por isso que sou sempre favorável ao "Jogo é Jogo, treino é treino"; ultimamente o que não deve faltar no BOTAFOGO é leão de treino.
Creio que os "professores", para serem coerentes, deveriam recusar elogios sobre o seus trabalhos, alegando que os treinos são fechados e ninguém acompanha.
SA!!!

Unknown disse...

Também não vejo como falta de técnica do Igor, mas concordo com o Mário do Pará, o Igor tá precisando tomar um banho de descarrego.

Rodrigo Federman disse...

Perfeito, Marcio. Esse JV é o rei da contradição também.

Possa crer, Ivo. Valeu.

Abs e SA!!!

Unknown disse...

Qual o problema do Roger querer entrar pra política, o cara quer ajudar pessoas com câncer, pra mim o que importa é a intenção, se ele quer ajudar, porque não, tenho certeza que fará de tudo para ajudar, além disso precisamos mudar esses políticos que estão lá, então o Roger tem meu apoio.

Rodrigo Federman disse...

Ivo, sobre política eu não comento.
Abs e SA!!!

Unknown disse...

Nem eu, só comentei, porque vi um comentário mais acima sobre isso, é resolvi tocar no assunto, pois a pessoa pode não ter entendido as reais intenções do Roger, ele pode não ser o centro avante dos nossos sonhos, mas é um cara do bem, jamais usaria a filha ou esse doença maléfica, pra se promover politicamente.

Rodrigo Federman disse...

Ok, Ivo. Também vi. Por isso não respondi especificamente sobre o assunto.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Ricardo
Prezados, embora realmente não devemos mistturar, aqui, polítira com clube, só ignorantes não percebem a intenção do Roger.
Por que ele não se lançou antes da reportagem da filha e do tumor ?
Falo disso por ser jogador do Botafogo e muito ruim por sinal.
Não acredito que os botafoguense votarão nele.
Sds

Rodrigo Federman disse...

Ricardo, vamos tentar não falar de política aqui?
Abs e SA!!!