segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Fim de uma era (com vitória)





Tudo bem que o Botafogo jogou mal, mas não importa: Venceu o Paraná na sua última partida em casa pelo Brasileirão/18.

Hoje eu confesso que o jogo foi secundário. Eu estava ansioso pela homenagem e despedida do grande Jefferson com a nossa camisa.

E foi lindo!

Desde o triunfo, passando pela festa incrível da torcida e até a volta olímpica.

Isso é Botafogo.

Que o Jefferson seja muito feliz na sequência da sua vida e que o GLORIOSO finalize bem a temporada no próximo domingo, contra o Atlético/MG.

A partir daí, é pensar em 2019.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 2 x 1 Paraná

1- Jefferson: O homem da noite - 10!!!

2- Marcinho: Continua melhorando na marcação - 5,5

3- Marcelo: Só exagerou nos recuos de bola - 5,5

4- Rabello: Muito bem, ganhou quase tudo - 6,5

5- Rodrigo Lindoso: Os habituais passes laterais - 5,0

6- Moisés: Um dos destaques. Melhorou bastante depois do período na reserva - 6,5

7- Luiz Fernando: Apagado - 4,5

8- Bochecha: Lento demais - 4,5

9- Brenner: Briga com os adversários e com a bola - 5,0

10- Valência: Errou quase tudo - 4,0

11- Erik: O mais participativo e vibrante do ataque - 6,0

12- Marcos Vinicius: Poucos minutos em campo, nem tocou na bola - Sem nota

13- Pimpão: Sem acrescentar muita coisa - 4,5

14- João Paulo: Agradável retorno. Mesmo sem jogar desde março, foi muito mais vibrante do que Lindoso e Bochecha juntos - 5,5

Zé Ricardo: Não tinha tanta coisa diferente a fazer - 5,0

12 comentários:

Leonardo Valadao disse...

Obrigado Jefferson!!

Rodrigo Federman disse...

Isso aí, Leonardo.
Abs e SA!!!

LEVI PEREIRA disse...

Tentei armar uma situação para descer a serra e ir ao jogo. Circunstância alheia à minha vontade conspirou contra o meu intento.
Assisti com meu amigo/irmão de camisa de sempre pela TV, no pub de um amigo comum, onde degusto uma belga trapista.
Não dispensei a mínima atenção ao jogo propriamente dito, no concernente aos aspectos técnicos. Afinal, nenhum dos times disputavam nada de substancioso...
Concentrei-me, conquanto à distância, numa homenagem discreta e sincera ao Jefferson, não obstante, repito, a uma ou outra restrição.
Even so, ele merece a honra!!! Poucos fizeram/procuraram fazer algo de diferenciado em prol do Botafogo!
Não gostei do protocolo. Estivesse no comando da festa, eu determinaria a substituição do homenageado aos 46 do segundo tempo, o que lhe teria proporcionado um justo aplauso da torcida, tendo sido ele o centro da justíssima homenagem. E nada disso teria impedido a volta olímpica que teve ocasião logo após o apito final.
Vida longa e plena de realizações ao Jefferson.
Vida longa e repleta de conquistas ao Botafogo!

Rodrigo Federman disse...

Levi, a sua consideração também foi a minha. Considerei que faltou mais bom senso. Deveriam ter substituído o Jefferson aos 47 do segundo tempo só para uma volta olímpica com o jogo ainda não terminado. Fora isso (apenas um pequeno detalhe), valeu por ele, para ele!
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Em dia de justa homenagem ao Jéfferson, vale também frisar o retorno do J. Paulo, que poderia deixar o retorno para 2019.
No mais, os muitos erros de sempre dentro de campo e, felizmente, uma vitória para fechar bem a passagem do Jéfferson pelo BOTAFOGO, dentro do NILTON SANTOS.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Boa, Márcio.
Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Acabamos de chegar, eu e minha filha, do Nilton Santos. Noite festiva, casa cheia, até a chuva ajudou não dando o ar da graça. Muitas crianças -no meu grupo, 3 meninos e 1 menina de 10 anos, minha filha e outra adolescente de 15. E 4 pais dessa tigrada, todos na onda de estarmos vivendo um momento histórico, de despedida de um craque de futebol e pessoa que, este sim, inscreveu seu nome em nossa gloriosa história.
Parabéns Jefferson, foi um prazer tê-lo como nosso goleiro. Pena que não estava conosco em 2007...
Do jogo, mais do mesmo: o prazer de ver o Lindoso a se esconder em campo, Brenner a maltratar a bola, Leo Valencia errando praticamente tudo que tentava, as substituições óbvias do ZR. De bom, o Marcinho melhorando, a zaga firme, Erik decisivo.
Que haja mudanças em 2019, mudanças profundas, começando pela profissionalização do futebol... profissional !
Abs, valeu Jefferson !

Rodrigo Federman disse...

Eduardo, meu único trabalho é assinar o seu comentário. Perfeito. Rs
Abs e SA!!!

Marcelo Defante disse...

Fui ao jogo na despedida do ídolo,m mai uma pergunta que não parava de circular entre os torcedores até quando o Zé Ricardo vai inssisitir no Brenner.

Rodrigo Federman disse...

Marcelo, já falam até em renovação dele para 2019...
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Só para constar, o Erik marcou 5 gols em 17 jogos pelo BOTAFOGO; Kieza em 26 jogos no brasileiro marcou 7 gols (Na temporada são 10 gols em 42 jogos).
Erik tem média de 0,29 gol/jogo; Kieza de 0,27 gol/jogo.
As médias são parecidas, só que o Kieza é centroavante e o Erik não é; considerando que o Time não sofreu mudanças radicais de nomes nas outras posições, fica comprovado mais uma vez que não temos centroavante.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, e o Kieza ainda é tratado como o grande centroavante do time.
Abs e SA!!!