domingo, 4 de novembro de 2018

Hoje ou nunca
















Não tem mais jeito. 

É tudo ou nada para o Botafogo, que fez questão de dificultar a sua vida nas últimas rodadas e agora se vê mais do que obrigado a vencer o Corinthians hoje a tarde.

Não existe outro resultado aceitável. Caso contrário, podemos terminar - hoje mesmo - na terrível zona de rebaixamento de vez.

E aí, amigos, eu não acredito que teremos forças para sair da situação.

Tudo ou nada! Vida ou morte!

Ah, e uma boa dose de vaias ao mascarado Jair Ventura!

Pra cima deles, Fogão!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

20 comentários:

Marcio disse...

Provavelmente não consiguirei assistir ao jogo, espero que ao saber do resultado final, não diga que "ainda bem não assiti".
Entretanto, não pode ser possivel o BOTAFOGO entrar mais uma vez em campo sem deixa a apatia do lado de fora, não é possivel que não hajam vergonha pelos maus resultados e mobilização para sair dos mesmos.
Se na metade do campeonato a vitória já era importante independente do jogo apresentado, agora é mais do que necessário.
Estou aguaradando a vitória, somente isso (o que não é pouco considerando os resultados recentes).
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, que você tenha uma ótima surpresa quando for buscar o resultado. Rs
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Ricardo
Só espero que o time não entre para empatar e que tenha um mínimo de vontade.

Rodrigo Federman disse...

Ricardo, hoje a postura precisa ser bem diferente.
Abs e SA!!!

Celso Ricardo disse...

Vou torcer muito mas não acredito nesses jogadores. Aliás, não acredito NESTE Botafogo.

Rodrigo Federman disse...

Possa crer, Celso.
Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Não sei porque tanta implicância com Jair Ventura. E não sei porque estamos habilitados a vaiar alguém. Vamos descer do pedestal de alfinete, pois corremos o risco de selar nosso caixão esta tarde.
Sinceramente, eu não espero nada desse elenco. O que eles não fizeram o ano todo, não creio que farão agora. Espero estar errado e que algum milagre aconteça.

Rodrigo Federman disse...

Abel, como torcedor, me julgo no direito de vaiar e aplaudir quem entender lá dentro de campo. E não acho que tenha algo a ver com pedestal. Sabemos a realidade do Botafogo, mas não anula todo o pouco caso e desdém que esse canalha tratou o Botafogo. Para mim, a tarde terminará ótima com uma vitória magra do Botafogo e muitas e muitas vaias ao Everest.
Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Rodrigo, você ainda não entendeu que futebol hoje é puramente negócio? Ninguém tem amor a camisa alguma, cada qual procura o que vai lhe garantir melhor futuro. E o clube que se dane.
Jogadores e técnicos são meros mercenários em busca de ganhar muito dinheiro. Todos agem assim, só os ingênuos não reconhecem isto.
Cabe aos dirigente contratar mercenários razoáveis e não um bando de incompetentes como temos neste elenco miserável. Podemos até ganhar, pois o elenco do Corinthians é muito ruim.
Mas, depois da derrota bisonha para os reservas do Atlético-PR eu joguei a toalha. Não acredito que este time escape. Espero estar errado. Espero que esses merdas incompetentes façam nas últimas rodadas o que não fizeram o ano todo.

Eduardo Samico disse...

Rodrigo, amigos, sorte do Márcio não poder ver o jogo. Eu poderei assistir, mas confesso minha dúvida -embora ache que no fim acabarei nao pensando no meu bem estar e verei o jogo.
Assistir jogos desse Botafogo é prejudicial à saúde.
Vamos ver o que rola... e como torcedor agnóstico só me resta apelar a Nilton Santos, Garrincha, Carlito Rocha e Biriba. Pois dos jogadores que entrarão em campo -nem sei quem são- nada espero.
E uma sonora e demorada vaia ao arrogante mr. Everest.
Abs.

Rodrigo Federman disse...

Abel, mas eu sou torcedor. Cumpro apenas o que julgo ser o meu papel de torcedor. O que não está ao meu alcance, relevo.

Eduardo, eu também adoraria ter algum compromisso hoje. Mas não tenho e serei obrigado a assistir. Hehehe

Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Eduardo, em maio muitos criam em libertadores, depois em copa do Brasil, depois em sul americana... e assim foi... diziam que o elenco do Botafogo não devia nada a time algum...a exceção de 2 ou 3...
Eu sempre disse que lutaríamos apenas para tentar não cair. Amigos meus me ridicularizavam, diziam que eu estava por fora da realidade, e citavam o estadual.
Agora a meta é vaiar um ex=técnico. Ok. É esta a grande meta agora? Isto vai fazer alguns torcedores realizados? No jogo de hoje haverá um caixão nos esperando, vamos tentar lutar para não entrar nele e sermos enterrados pelo Flamengo no próximo jogo. Estamos nos apequenando de verdade.

Rodrigo Federman disse...

Abel, alguém falou em meta de vaiar o ex-treinador? Se sim, fale o nome da(s) pessoa(s) pois serei o primeiro a chamar de patético. O que eu disse foi: como torcedor, me vejo na total razão e direito de vaiar quem bem quiser. E não dou direito algum a outros tentarem me dar "lição" de como agir no papel de torcedor.
Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Não estou dando lição a ninguém, e nem falando dos direitos de torcedor, caro Rodrigo. Não precisa usar de agressividade sem a menor necessidade. Se você se achou desrespeitado por mim, deixarei de participar do seu espaço, sem problema algum.
Cada um é livre para se manifestar como quiser. Estou falando da situação trágica do Botafogo. Eu não consigo pensar em nada mais que a tragédia de um rebaixamento. O resto não me interessa. Ex-técnico, para mim, é apenas um ex-técnico.

Celso Ricardo disse...

Porque 4 minutos de acréscimo?

Rodrigo Federman disse...

Abel, a partir do momento que você fala (em tom irônico) que meta é vaiar o treinador adversário, sendo que eu falei que espero que o JV seja muito vaiado (veja a diferença do que escrevi e do que o amigo comentou), precisava apenas colocar minha observação. E acredite, sem agressividade alguma. Apenas posicionamento.

Celso, vamos para os 45 finais! E fazer de tudo para marcar mais um gol.

Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Prezado Abel, sou tão somente torcedor, em nada influencio nos destinos do Botafogo. Por conseguinte não tenho metas. Metas, as tenho nas questões de meu alcance: na vida pessoal, profissional ou como atleta (fui nadador há mais de 40 anos e recentemente, por 3 anos, disputei competições como master).
Como torcedor quero me divertir: vibrar com gols e vitórias, gritar nome de jogadores que não têm nenhum apreço pelo Botafogo ou que honraram nossas cores, vaiar e xingar quem eu acho que merece minha vaia ou xingamento. É simples assim.
E não acho que isso signifique o apequenamento do Botafogo. Lembro que em 71 o Roberto, até então um dos meus inúmeros ídolos (outros tempos, o Botafogo grande, pleno de craques e de ídolos), foi emprestado ao time do esgoto. Em um jogo no finado Maracanã, nós contra eles, toda a torcida alvinegra o hostilizou. E àquela época nenhum de nós imaginava o que iria se tornar o Botafogo nas décadas seguintes.
É isso.
Abs.

Rodrigo Federman disse...

Eduardo, isso mesmo. Penso igual, amigo.
Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Eduardo, a história que você citou apenas corrobora com o que eu disse. Perseguiu o jogador que saiu e deixou de ver o atoleiro em que estava se metendo.
O Botafogo tem que agir como time grande e ponto final. Jogador/técnico saiu, ponto final. Segue a vida. O clube também demitiu dezenas de técnicos nos últimos anos. É assim a vida.
Em 2009 todo mundo se juntou para vaias implacáveis contra Cuca. Mudou alguma coisa? Agora, todos se ajoelharam para ele voltar a dirigir o time. A torcida não pode se comportar como se estivesse sofrendo bullying.
Bem, eu penso assim. Respeito o que você pensa. Não fui irônico, como disse Rodrigo, apenas estava revoltado com a situação do time e pouco me importando técnico A, B ou C. Fiquei perplexo com o jogo que fizemos contra o Atlético-PR. Ganhamos ontem, mas de outro elenco fraquíssimo. Os desafios são enormes.

Rodrigo Federman disse...

OK, Abel. Aí é mesmo questão de ponto de vista e opiniões.
Abs e SA!!!