quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Uma vitória "ok"




Foi bem mais complicado do que eu imaginava, mas o Botafogo venceu o Cuiabá por 3 a 0 e se classificou para a terceira fase da Copa do Brasil.

Apesar da diferença técnica entre as equipes, diferente dos comandados do Zé Ricardo, achei o time do Mato Grosso bem arrumadinho e organizado. Mas lógico, no final, a camisa pesou (mesmo que o placar tenha sido um tanto quanto exagerado pelo que foi o jogo).

Do lado botafoguense, feliz pela classificação...
...mas ainda um tanto quanto receoso em relação ao esquema tático e desenrolar do time. Continuamos muito espaçado. É defesa e ataque, com a bola cruzando o meio de campo só na base dos chutões. Só deu uma melhorada no final, após entrada do Cícero e quando o Cuiabá ficou entregue.

De resto, não dá para negar que houve aplicação tática. Mas isso ainda é pouco para os casos de jogos mais cascudos.

É preciso melhorar logo. Desde a escalação inicial até a maneira de atuar. Para superar Campinense e Cuiabá, ok, deu...só que uma hora a competição afunila. E precisamos estar melhor treinados/preparados.

Seguimos em frente!


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

Botafogo 3 x 0 Cuiabá

1- Gatito: Uma defesa incrível no final - 6,0

2- Marcinho: A má fase é evidente - 3,5

3- Marcelo: Boa partida - 6,5

4- Gabriel: Continua seguro e soberano - 6,5

5- Bochecha: Muito lento, não conseguiu dar ritmo - 4,5

6- Jonathan: Partida ok, apenas - 5,0

7- Rodrigo Pimpão: Taticamente muito bem e importante durante os 90 minutos - 6,5

8- Alex Santana: Enquanto teve fôlego, tentou algo. Depois, cansou - 6,0

9- Kieza: Não foi a sua pior partida, mas ainda assim, não é jogador para Botafogo - 5,0

10- Valencia: Apagadinho - 4,0

11- Erik: Incansável - 6,5

12- Jean: Entrou para levar cartão amarelo - 5,0

13- Cícero: Melhorou o toque e saída de bola no meio de campo - 6,0

14- Luiz Fernando: Pouco fez - 4,5

Zé Ricardo: Precisa logo definir o time titular e ter outras opções táticas para o grupo - 5,0

32 comentários:

Marcio disse...

Classificação garantida e muitas coisas para serem melhoradas.
Primeiro tempo onde o BOTAFOGO sofreu com a marcação no meio campo e com a melhor organização do adversário. E sofreu porque com a escalação insistente de três homens de ataque, o meio campo fica despovoado e sem conseguir organizar o jogo.
Além disso, ainda teve o Valencia alheio ao jogo e que por isso não ajudou o setor de origem.
Quando de posse da bola, ficou com quatro jogadores além da linha da bola, com pouca movimentação e por isso refém das bolas longas para os atacantes, onde somente o Erik tem poder de decisão, muito pouco.
Até que em um escanteio, o Cuiabá não conseguiu afastar definitivamente a bola e em um cruzamento do L. Valencia, que estava pelo lado direito, Erik, sempre ele, colocou o BOTAFOGO em vantagem.
No segundo tempo o Cuiabá iniciou a partida ainda bem organizado e o BOTAFOGO continuou muito mal na marcação, tanto que até os 15 minutos o Cuiabá criou três boas chances de gol.
Depois dessas chances, ZR fez a primeira substituição, Jean no lugar do Bochecha, que nem marcou e nem melhorou a saída de bola.
Aos 20 minutos, sacou o A. Santana, um dos melhores em campo, e colocou o Cícero… Provavelmente sacou o A. Santana por questões físicas. Jogador algum suporta ter de armar o jogo e marcar por dois ou três no meio de campo; vítima do esquema.
Depois de muito sufoco, Cícero fez um belo passe para o Pimpão, que tocou no Kieza, recebeu na frente e fez o segundo gol. Quase que imediatamente, ZR providenciou a última substituição, L. Fernando no lugar do Kieza. Ainda sobrou tempo para o terceiro gol, Erik em penalidade máxima sofrida pelo Pimpão.
Vitória por três a zero e classificação assegurada, mas o jogo apresentado não apresentou organização e mais a certeza de que não poderá oferecer algumas chances a adversários “mais qualificados”; hoje felizmente houve eficácia nas chances criadas.
O BOTAFOGO não pode jogar da mesma forma contra o Palmeiras e contra o Cuiabá.
Uma curiosidade: Quando o Cícero entrou em campo no lugar do A. Santana, o BOTAFOGO ainda vencia pelo placar mínimo… Só não custa tentar entender porque o Zé Ricardo escolheu o Cícero que está há uns três meses, mais ou menos, sem jogar e não colocou o J. Paulo.
O que está acontecendo com o J. Paulo?
Foi três a zero sem ser dominante, como futebol é bola na rede, melhor ter a possibilidade de corrigir os erros após as vitórias.

Fernández- bem quando exigido;
Marcinho- Continua deixando a desejar na marcação, hoje não merece ser titular;
Marcelo e Gabriel- Jogaram mais expostos por causa da falta de uma melhorr proteção, mesmo assim deram conta do recado;
Jonathan- Foi o jogoi em que mais teve trabalho, mas fez uma boa partida, mais uma;
Bochecha- Não marcou forte, não melhorou a saída de bola. Precisa ser mais dinâmico na partida;
A. Santana- Muito boa partida, procurou organizar o jogo, chegou à frente para finalizar, o melhor no setor;
Valencia- Embora tenha participado efetivamente do primeiro gol, pareceu fora de sintonia. Partida apenas regular;
Pimpão- A luta de sempre, mas hoje fez uma partida em um nivel acima;
Erik- Decisivo, mais uma boa partida. Em alguns momentos precisa apenas soltar um pouco mais a bola;
Kieza- Participou do segundo gol e conseguiu finalizar uma vez para o gol, mas não tem condições de ser titular.

Jean- Recebeu um cartão por uma entrada forte e marcou um pouco melhor do que o Bochecha;
Cícero- Um bom passe para o Pimpão, que originou o segundo gol. Se apresentou bastante para jogar. Em melhor forma poderá ajudar;
L. Fernando- Seja jogando desde o inico ou entrando com a bola correndo, a pouca disposição de sempre.

Z. Ricardo- Insiste na mesma escalação e independente do que o jogo apresenta e das substituições feitas, o esquema de jogo é mantido.
A Equipe não mostra evolução e, pior, a sensação de desorganização é constante.
Precisa trabalhar e apresentar mais alternativas.

SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Perfeito, Marcio. Concordo integralmente. Principalmente com a parte final, analisando o trabalho do Zé Ricardo.
Abs e SA!!!

Sergio disse...

É impressionante como o meio campo do Botafogo marca mal e não cria. O Bochecha é muito mole, seja marcando seja atacando. Não consigo ver o JP como reserva nessa equipe.
O Marcinho tá muito mal, pelo seu lado sairam as principais jogadas do Cuiabá, que se mostrou mais organizado e melhor treinado que o Botafogo. Boa a entrada do Cícero, e o Jean aumenta o poder de marcação, mas em compensação com a bola nos pés é dose. Hoje o Kiezargh foi razoável com boa participação no segundo gol e quase fez um de bicicleta, mas é pouco. O LV esteve bem apagadinho, apenas com boa participação no gol inicial. Urge acertar esse meio campo e mais ainda arrumar um LD. Demos sorte, o placar elástico não mostra o que foi o jogo. ABS e SB!

Rodrigo Federman disse...

Verdade, Sérgio. O placar não pode tapar o sol com a peneira em GS.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Rodrigo, tivemos duas vitórias por três a zero nos últimos jogos, Defensa Y Justicia e Cuiabá. Nesses dois jogos observei as equipes bem trabalhadas pelos seus respectivos treinadores, com uma melhor ideia de jogo.
O BOTAFOGO pode elevar uns degraus o seu nível de atuação, embora seja legítima as vitórias, não pode ficar dependente apenas dos contra-ataques, mesmo quando joga no NILTON SANTOS contra toda e qualquer equipe.
Nem atacar de qualquer maneira e nem jogar excessivamente na defesa, ter equilíbrio e organização é o caminho.
O problema é saber qual jogo o ZR asiste do BOTAFOGO.
SA!!!

Anônimo disse...

Boa noite Rodrigo. Não é crítica . Só querendo entender essas notas. Pimpão roubou a bola no primeiro gol, fez o segundo, sofreu pênalti no terceiro. Se entregou os 90 min e tirou 6,5?
Erick fez dois gols, roubou varias bolas . Deu carrinho roubando bola no fim do jogo, participou de praticamente todos os lances perigos e também só tirou 6,5? Qual seu critério? Só pra entende mesmo
Grande abraço
Luiz

Rodrigo Federman disse...

Sim, Marcio. Não podemos ficar apenas nessa de contra-atacar e/ou nos chutões. Nao temos triangulações e nem jogadas nitidamente ensaiadas/trabalhadas. Para mim, o time é mal treinado.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Não mostra evolução? Levamos 1 gol nas últimas 5 partidas. Pode não estar bom. Mas do começo do ano pra cá saímos do péssimo pro razoável ao meu ver. Tirando os espaços deixados pelo Marcinho, a zaga está muito bem. Dado a pouca qualidade técnica do time, esse esquema reativo de jogar esta dando certo. Ao meu ver . Grande abraço . Luiz

Rodrigo Federman disse...

Luiz, primeiro, minha nota inicial é sempre 5. Segundo, não achei nada de excepcional no jogo do time.
Abs e SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Luiz, eu não vejo evolução tática ou técnica alguma até agora também.
Abs e SA!!!

Adelson disse...

Achei o futebol do time uma lástima. No segundo tempo, até o segundo gol, em um contra-ataque, estava equilibrada a partida com um time fraquíssimo. O placar justo seria 1x0 ou 2x1. Fiquei muito mais preocupado. Resultados assim podem criar uma ilusão. O positivo foi ver que Erik está em alta... mas temo que saia no 1º semestre.

Daniel Cananea disse...

Time não jogou bem e placar foi mentiroso. Foram 15 minutos tenebrosos no início, batendo cabeça, preguiçoso na marcação, qualquer acelerada no jogo e nossos jogadores ficavam pra trás. Gustavo e Alex "pesadões" e sem diminuir o espaço, da mesma forma os laterais. O time equilibrou aos 20 e lááá pelos 35 minutos começou a pressionar o poderoso Cuiabá, ainda sim timidamente. Mas Erik antecipou ao zagueiro e gol!
Segundo tempo e parecia que seria assim novamente, pensei 'não é possível' mas aí o jogador deles pegou uma de chapa de pé sozinho e conseguiu a proeza de errar o alvo com mais de 7 metros. Depois Pimpão e Erik mataram um jogo, que vi poucos momentos de algum futebol por parte do Botafogo, na verdade só quando saíram da inércia, se apresentaram pras jogadas, mas ainda sim foi muito pouco.

Daniel Cananea disse...

Marcelo é excelente zagueiro, mas sem Carli nossa defesa é frágil nas bolas aéreas cruzadas na nossa área, na verdade com sua boa habilidade e impressionante velocidade e recuperação, Marcelo daria um ÓTIMO lateral. Com essa fase do Marcinho então..

Marcio disse...

Dos 11 jogadores que foi inicialmente a campo, apenas Gabriel, A. Santana e provavelmente Jonathan, não conhecem bem o trabalho do ZR.
Os dois primeiros foram contratados e o Jonathan foi promovido aos profissionais agora em 2019.
O jogo apresentado da Equipe poderia ser um pouco melhor, com jogadas ensaiadas, melhor aproximação entre os setores... Não vejo tentativas para que isso ocorra.
SA!!!

Fatos disse...

Gatito - 6,5

Marcinho - 4,5

Marcelo Benevenuto - 6,5

Gabriel - 6,0

Jonathan - 6,0

Bochecha - 5,0

(Jean) - 5,5

Alex Santana - 6,0

(Cícero) - 6,5

Valencia - 6,5

Rodrigo Pimpão - 7,0

Erik - 7,5

Kieza - 6,0



jones lopez disse...

Rodrigo o jogo foi muito sofrido so melhorou vom a entrada do Cicero mesmo e mais uma pergunta onde está o Ferrareis que sempre entra e bem e não tem oportunidades? Ze Ricardo tem a fama de paneleiro não é atoa .

Anônimo disse...

Minha opinião é de que o Zé Ricardo é de MÉDIO pra RUIM. O Valência é de médio pra ruim. Marcinho de médio pra ruim. Kieza é MUITO RUIM e aposta do Zé Ricardo.
Jacob

Rodrigo Federman disse...

Adelson, não cheguei a achar uma lástima, mas foi fraco.

Daniel, sim. No total, se o Botafogo conseguiu jogar minimamente bem, foi no máximo 15 minutos. Pouco demais.

Pois é, Marcio. Não podemos aceitar as desculpas do ZR.

Valeu, Fatos.

Jones, paneleiro mesmo.

Concordo, Pai.

Abs e SA!!!

J PRATTI disse...

O inicio deles deu para assustar e muito. Principalmente e sempre pelo lado direito ou melhor a AVENIDA MALDITA.
Rodrigo voce observou bem vai afunilando e a qualidade do adversario aumentando ninguem consegue dar cobertura perfeita para essa coisa horrivel chamada Marcinho nos 90 minutos quando depender dele PHUDEU.
Mas valeu pela vitoria.
Sds.

Rodrigo Federman disse...

JPratti, e nos dois tempos!
Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Na preliminar do jogo do Botafogo vi Real Madri x Barcelona. Nem penso em comparar os jogadores de lá com os que nos restaram.
O que salta aos olhos é como jogam próximos uns aos outros. Isso, jogadores de altíssimo nível técnico, que dificilmente erram passes. E como se deslocam aqueles que não tem a bola !
Aí, jogo do Botafogo... Até parece futebol de botão: se movimenta quem conduz a bola, o resto, paradão, sem dar opções de jogada. Dessa maneira, nem com o Canhota no meio campo !
E mais, em um dado momento, ainda com o placar em branco, bola com um dos nossos zagueiros, em linha os outros 3 da defesa; à frente deles uns 4 do Cuiabá. E os nossos meio-campistas, onde estavam ? Mais à frente, alguns de costas para a defesa ! Não tem como criar jogadas com o time espalhado em campo desse jeito.
Na real, para os treineiros que grassam por aqui, o gol não é detalhe, é cagada, é obra do acaso, fruto de um chutão para frente ou de um erro do adversário. Pior que não vejo treinador muito diferente aqui no Brasil, salvo raras exceções.
Abs.

Anônimo disse...

Não vejo má fase do Marcinho. Eu vejo é displicência, insolência, soberba, corpo mole e outras coisas que prefiro não escrever. Já deveria amargar um banco há algum tempo. Uma pergunta: como o time do Cuiabá tem uma melhor organização em campo do que o Botafogo? A diferença na folha salarial desse ser gritante. A culpa é só do embuste ZR? Abs e sa Jorge

VinnyMarques disse...

Perfeita análise do nosso databank Márcio. E digo mais: essa insistência do Zé Ruela com esse esquema, está sacrificando os melhores jogadores do time: Alex Santana e Erik. Uma hora vai dar merda. Marcinho é Kieza São dois a menos. Em todos os jogos... Isso quando não escala o insosso Luis Fernando. Aí complica. JP, Valência, Erik e Cícero... Parece ser o que temos pra hoje.

Fatos disse...

Perfeito

Rodrigo Federman disse...

É, Eduardo. O nível de inteligência tática é absurdamente diferente. Aqui no Brasil se joga pelada em marcha lenta, se comparado ao que pratica-se lá fora. E só piora quando os níveis dos times são ruins.

Jorge, eu já vejo má fase, pois potencial ele tem. Só que, claro, concordo, falta também vontade e mais seriedade nele.

Sim, Vinny. Uma hora o Erik não vai aguentar mais correr. E se ele parar, não consigo ver qualquer futuro nesse time.

Valeu, Fatos.

Abs e SA!!!

Sergio Di Sabbato disse...

O Eduardo Samico matou a charada: falta de movimentação. Isso é falta de orientação técnica, porém, até em pelada a gente sabe que se não houver movimentação não há como avançar. Além de estático e time é muito espaçado. Mesmo com jogadores medianos, com treinamento dá para melhorar, e outra coisa: com esse meio campo não dá prá jogar com 3 atacantes. Abs e SB!

Rodrigo Federman disse...

Exato, Sergio. É falta de futebol (qualidade) e treinamento mesmo, pois até mesmo o Cuiabá mostrou ter o mínimo de preparo e noção.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Dizem os estudiosos de futebol que o tal treino em campo reduzido é o que tem de avançado, pois exige troca rápida de passes, velocidade de raciocínio, compactação, intensidade, entre outras coisas.
Faz um tempo que penso sobre esse tipo de treinamento e perguntaria, se oportunidade tivesse, para algum desses técnicos se esse tipo de treinamentos não tira dos jogadores a noção de amplitude.
Não podemos nos esquecer de que o futebol europeu sempre foi mais tático do técnico, onde, talvez, esse tipo de preparação seja mais eficiente. O futebol brasileiro sempre primou pela alta qualidade técnica e capacidade de improvisação de seus jogadores; assim, ao copiar em sua totalidade o modelo europeu, sem adaptar à cultura futebolística nacional; acabaram por perder a sua melhor virtude.
Os técnicos por aqui, para ampliar a importância da parte tática, alegam que atualmente o coletivo supera a individualidade; sem eliminar a importância tática, quem tem o craque ainda leva grande vantagem.
Disse o técnico do Lyon, sobre o Messi, antes do confronto pela UCL:

"O fato de ter vários jogadores à sua volta pode reduzir a sua influência", defendeu o treinador, mas acabou admitindo que "quando está em uma grande noite, ele consegue ver ou fazer coisas que ninguém pode fazer". "Ele é um gênio do futebol"...

https://www.bol.uol.com.br/esporte/2019/02/18/diante-de-messi-a-marcacao-individual-e-obsoleta-diz-tecnico-do-lyon.htm

Em resumo, se esse tipo de treinamento é avançado, o jogo apresentado por aqui não confirma.
A tática deve ser aplicada para fazer sobressair a parte técnica e não anulá-la, como ocorre por aqui.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, é tudo embromação desse futebol moderno.
Abs e SA!!!

Tiago Almeida disse...

Rodrigo VC não acha que o Bochecha é muito técnico e melhora a saída de bola?

Assimos disse...

Salve salve, amigos do CB!

Ontem nosso primeiro tempo foi lastimável e mascarado com um gol.
Marcinho, Bochecha e Kieza dispensam comentários. Léo Valência se dedica e ajuda na bola parada, só isso. Jonathan não foi bem ontem (só dava passes para trás). Os demais eu gostei. Dos reservas que entraram, só Cícero fez a diferença.
Cadê o JP?!

Abraços e SA!


Rodrigo Federman disse...

Tiago, ele é técnico, porém, mais lento que uma tartaruga. Jogador assim não tem vez mais.

Assimos, a pergunta que não se cala: Cadê o JP?!

Abs e SA!!!