segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Pedindo passagem














No jogo de ontem, o técnico Zé Ricardo mexeu nas duas laterais. E falou sobre o rendimento dos dois testados:

"- A gente estava preocupado com três jogadores que jogaram 100% do tempo nos quatro jogos: Luiz Fernando, Marcinho e Marcelo Benevenuto. Por isso, resolvemos tirá-los da partida. Calor muito desgastante. Rickson não é um especialista da posição, mas vinha treinando muito bem. Pode jogar tanto como segundo volante como meia-atacante, mas se dispôs a treinar nessa posição. A sequência de treinamentos dele nos deu confiança para usá-lo nesse jogo. Assim como o Jonathan. Entraram bem e deram conta do recado".

Pelo que li, a partida do Rickson foi segura. E com um agravante (que em minha opinião, poderia ter queimado o rapaz): É volante por natureza. Que bom que a avaliação final foi positiva, mas como não vi o jogo, ainda não pensaria na saída do Marcinho no lado direito. Não, enquanto não houver um jogador da posição para brigar pela titularidade.

No outro lado, gostei bastante do Jonathan contra o Flamengo. E parece que, diante do Boavista, fez mais uma boa partida (inclusive, marcando o terceiro gol). Ou seja: O que mais precisa fazer para ganhar uma sequência entre os onze?

Espero quebrar a cara, mas ainda estou apostando com quem quiser que o Gilson vestirá a número 6 na quarta-feira. Alguém duvida?


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

34 comentários:

Sergio disse...

Sobre o jogo de ontem o que observei é que as laterais ainda estão muito desprotegidas, mas os dois garotos foram bem. Esse Rickson me parece bom jogador, e jogando fora de posição mostrou personalidade. O Jonathan também tem futuro. No meio gostei do AS. A volta do Carli foi importante. O problema maior e o centro avante,mas ate que ontem lutou. Acho que o time com muito suor da pra ficar sem sustos, mas títulos, acho improvável. ABS e SB!

Rodrigo Federman disse...

Sergio, o problema do centroavante é que ele luta contra a bola. E quase sempre perde, pois é fraco! rs
Abs e SA!!!

vitor disse...

Rapaz o que fiquei de cara foi que tava preocupado com o rendimento de 3 atletas PROFISSIONAIS, não peladeiros, por terem jogado 3 jogos inteiros. Pelo amor de Zaratustra.. num evento não relacionado Johnathan titular já!

Eziel Junior disse...

Rickson quebrou o galho mais está longe de assumir uma vaga na lateral... Ontem no lado dele vi apenas o básico do meio pra trás... Não teve muitas subidas ao ataque do lado dele mais defendeu muito bem seu lado. Sobre o Jonatha é o tipo de jogador que eu gosto joga serio e apoia bastante quando tem oportunidade e marca bem do seu lado. Com alguns jogos do menino como titular acredito que Gilson será esquecido. Volta de Carli deu outra dinâmica na defesa acredito que a dupla Carli e Gabriel será ideal pra temporada vamos aguardar o entrosamento da dupla pra ver.

Rodrigo Federman disse...

Vitor, com esse time, me preocupo com tudo...e sempre! rs

Eziel, eu ainda não acredito que Gilson seja barrado, infelizmente.

Abs e SA!!!

Abel Santos disse...

Eu só duvido de um bom resultado... tomara que eu estera errado...

Rodrigo Federman disse...

Abel, vamos torcer.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Disse o Zé Ricardo sobre o Rickson, "...mas se dispôs a treinar nessa posição..."
Vou ser repetitivo, pois o Zé Ricardo não deveria ter permitido o empréstimo do Fernando, pois, em tese, é mais difícil um bom resultado com o Rickson do que com o Fernando.
E é bom lembrar que o Noronha disse o seguinte sobre contratações, quando junto ao Mufarrej, deu entrevista falando da péssima fase do futebol:
"...Comissão técnica tem sua parcela, porque não contratamos sem a chancela deles..."
Essa fala me permite acreditar que as dispensas também tem a concordância do técnico.
O Rickson pode se tornar um lateral de excelente qualidades, o Cafú, que foi um lateral apenas mediano, é uma prova de que é possível, mas não vou deixar de dizer que essa improvisação foi para tapar um buraco, quebrar um galho, em uma situação criada pelo próprio CLUBE. O mérito é relativo.
Lembro também que o Marcinho passou a jogar de lateral na metade de 2015, ainda no sub-20; sua posição anterior era meia atacante.
No Time principal, assumiu a titularidade no inicio de 2018, com o A. Valentim, e ainda demonstra deficiências no que diz respeito à marcação. A questão é saber se a mudança de posição do Marcinho fez o BOTAFOGO perder um aceitável meia-atacante e não ganhar um aceitável lateral. Por que podem recuar os jogadores e não podem avançá-los? Por que não testar o Marcinho mais avançado, na posição que jogou desde sempre na base?
Lembro que o Paquetá chegou a pensar em adiantá-lo...
Se o Rickson foi bem na lateral e tem treinado bem, como disse o Zé Ricardo, o rendimento não seria melhor se recebesse oportunidade na posição a qual está acostumado a jogar?

Para terminar, antecipando que não estou comparando jogadores, o Flavio Costa, técnico do Flamengo, escalou o Gérson na ponta esquerda para ajudar o Jordan a marcar o Garrincha, na final do Carioca de 1962; o Canhota argumentou, contrario a ideia e a relação entre eles se deteriorou. Em 1963, Flávio Costa pouco utilizou o Canhota e na metade do mesmo ano o BOTAFOGO o Craque.
Eu sempre prefiro que o jogador seja escalado em suas posições de origem, o próprio Cafú, que citei anteriormente, passou para a lateral quando estava nos profissionais e tendo jogado como atacante.

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/mufarrej-revela-conversa-com-departamento-de-futebol-do-botafogo-houve-cobranca-grande.ghtml

SA!!!

RICARDO ROCHA disse...

O Gabriel é muito mais seguro que IR. Nossa zaga melhorou. Mas,sem laterais de qualidade, chegaremos a lugar nenhum. Isso sem falar de um goleador.

Rodrigo Federman disse...

Marcio, sem contar que eu duvido desse "se dispôs". Considerando que o jovem sabia que nunca receberia oportunidades, aposto que ele se viu na obrigação de aceitar o improviso, mesmo ciente do risco que assumiria por atuar fora de posição.

Ricardo, gosto do Gabriel. O problema é que ele não veio em definitivo. Logo, apenas o valorizaremos mais para que o Galo ganhe. rs

Abs e SA!!!

fabio lucas disse...

O Jonathan e tao bom que ja mitou conseguiu fazer embaixadinha com o colete do time contei 5 de costas ainda

Anônimo disse...

Ricardo
Como sempre acontece, a volta do Carli é sempre boa.Mas me preocupa comentários que diziam :
O Carli foi importante nos lançamentos, pra mim chutões, que fez.Ou seja, vamos ficar dependendo do Carli para abastecer o ataque ?
No Botafogo, pra mim, quem escala são dirigentes e/ou empresários.Mas técnico que aceita não merece qualquer credibilidade.
Conclusão: Não temos jogadores, técnico e muitos menos dirigentes....
A culpa do fracasso é da torcida...Rssssssss

Rodrigo Federman disse...

Heheh. Possa crer, Fabio.
Abs e SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Ricardo, o Carli faz muita diferença na zaga. Muita mesmo!
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Só digo uma coisa a raiva que temos do Marcinho e Gilson está criando análises mentirosas sobre seus reservas.

No caso Jonathan, Ok! Realmente o garoto mostrou certa qualidade nos dois jogos. Contra o Flamerda ele foi seguro na defesa, não deixando o Everton Ribeiro criar nenhuma jogada do seu lado e contra o boa Vista ele voltou a mostrar segurança na defesa e dessa vez mostrou certa qualidade no ataque, no 1º gol ele estava dentro da área e tocou para o Pimpão que estava livre e fez o seu gol depois, ou seja, merece e muito os elogios.

Mas estou assustado em ver os comentários sobre a atuação do Rickson, não quero cornetar ou queimar o garoto, mas quem prestou atenção no jogo, principalmente no primeiro tempo, vai ver que ele ficou muito perdido na posição, estava tomando bola nas costas com o time ganhando de 2x0. Na minha opinião se for pra improvisar do lado direito que seja com o Benevenuto que já jogou alguns jogos grandes por ali e que Rickson seja utilizado em sua real posição.

Resende

Rodrigo Federman disse...

Resende, mas apenas falaram que a partida do Rickson foi aceitável. Isso já é uma boa notícia. De todo modo, se for para improvisar lá, também prefiro o Marcelo.
Abs e SA!!!

Lorismario disse...

Caro Rodrigo. Estou em acordo com o nosso amigo Resende. Gostaria muito que nossos torcedores contassem quantas bolas o Marcinho recebe na saída de bola e devolve para o central. Gostaria de números. Pegar e devolver até eu com 70 anos faço. Estou quase preferindo o Gilson ao Marcinho por um motivo simples: não é e jamais será ala. Não marca e se omite nas subidas com a bola nos pés. Só sobe se for para receber a bola lá na frente. Porra, ZR põe o Benevenuto que marca muito bem no lugar do Marcinho. . Deixe o Jonathan na esquerda e doe o Kieza para algum time. Põe o Pimpão de falso nove e troque de posição com o Erik, como tática de jogo. Quanto ao Rickson, não é ala. Marca mal. É bom volante, inclusive chuta forte de fora da área quando sobe pelo lado esquerdo e dribla para a direita. Loris

Rodrigo Federman disse...

Loris, diferente da imensa maioria, ainda vejo que o Marcinho - se bem instruído - tem potencial. Diferente (muito diferente, deixo claro) do Gilson, que em minha opinião é ruim por natureza em todo e qualquer fundamento básico disso que chamamos de futebol! hheheh
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Antes de escantear o Marcinho, penso que deveria receber uma oportunidade em sua "posição de origem" e assim confirmar se tem condições ou não de ficar no BOTAFOGO.
A questão, como escrevi anteriormente, é saber se o BOTAFOGO não ganhou um lateral aceitável e perdeu um meia-atacante aceitável.
Creio que há muita participação dos técnicos nos fracassos dos jogadores, principalmente hoje em dia onde estes não dizem que não sabem jogar em determinada posição.
SA!!!

Marcio disse...

Complementando meu último comentário, será que o Zé Ricardo ensina e cobra do Marcinho no sentido de melhorar a sua performance, como fez o Telê com o Cafú?
SA!!!

Marcos Antonio Oliveira disse...

Vi no Jonathan, nos 2 jogos, qualidades muito superiores às do Gilson em todo este tempo que está conosco. No lado direito, tá muito difícil. Também tentaria o Benevenuto ali, em todo o carioca, que nos serve mesmo para testes. Erick melhor de segundo atacante, mais ao centro. Valencia está fazendo falta, embora o Ferrareis tenha feito um gol.

RICARDO ROCHA disse...

Desculpe,Rodrigo.Sabe o que penso do Marcinho.Falta caráter, foge das divididas e corre pra não chegar. Não serve nem para o banco de reservas.

Rodrigo Federman disse...

Marcio, duvido muito que isso aconteça. Os "professores" de hoje em dia não trabalham e observam o que acontece em campo. Eles analisam números e estatísticas (sem entendimento dos pormenores) em tablets.

Marcos, se bem que, melhor do que Gilson não é lá muito difícil de acontecer, né? Rs

Ricardo, eu juro que não vejo isso nele. Aliás, com exceção de uns 4 ou 5 jogadores que têm postura e raiva, acho todos os outros iguais nesse quesito.

Abs e SA!!!

J PRATTI disse...

Ricardo Rocha concordo plena mente.
No meu time de pelada quero jogar na esquerda do meu ataqUE
Com o Marcinho me marcando. Ou melhor o meu avô que já faleceu.
Eu duvido que essa merda não vai passar aperto.
Rodrigo te respeito e te agradeço mas você só crítica o Lindoso e não vê essa merda fudendo o Botafogo.
SDS.


Sergio disse...

Essa cobrança em relação ao Rickson é um pouco demais, afinal ele jogou fora de posição, foi o primeiro jogo como profissional e para piorar, pelo,seu lado ninguém o ajudava. Acho cedo para qualquer avaliação. ABS e SB!

Lorismario disse...

Rodrigo. Não acho legal fazer do seu blog um Centro de Discussões sobre este ou aquele atleta, mas sim falar do Botafogo. Tirando a questão do caráter, tendo a concordar com nosso amigo Ricardo Rocha.Estruturalmente é baixo para ala. Nos cruzamentos que vem da direita para a área do Botafogo ele fica atrás do adversário- dê uma olhada neste posicionamento-. Parece aquelas bibliotecas do "lê devolve", só que com a bola. Corre para não chegar como disse o Ricardo, enfim, estruturalmente e funcionalmente não joga nada como ala. Se fosse para jogar como um meia avançado - estilo Bruno Silva agora no Fluminense- eu não saberia dizer pois jamais o vi jogar nesta que seria sua posição de origem. Enfim, para mim, não serve tanto quanto o Gilson que toma mais iniciativa de subir com a bola nos pés do que o Marcinho Lê Devolve. Loris

Rodrigo Federman disse...

JPratti, apenas dou a minha opinião. Da mesma maneira, cansei de elogiar e criticar o próprio Marcinho.

Sérgio, eu gostaria de não ver os jovens da base sendo lançados no improviso.

Loris, sendo debates sadios (como na imensa maioria das vezes por aqui), gosto desses debates. Rs

Abs e SA!!!

Fatos disse...

Também não duvido. Mas que seria uma idiotice, seria.

Daniel Cananea disse...

Acho que ZR volta com Marcinho e Luís Fernando nos lugares de Rikson e Pimpão.

Rodrigo Federman disse...

Valeu, Fatos.

Daniel, ainda aposto, infelizmente, na volta do Gilson também.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Em 2015 o R. Simões dizia que desejava chegar a marca de 600 passes trocados por jogo, a equipe não chegava a 400 passes trocados no mês de junho e mesmo assim era a que mais trocava passes na série B. Ou seja, o Time não tinha capacidade técnica para tal feito. Com ele no comando, fomos eliminados de forma vergonhosa pelo Figueirense na Copa do Brasil, dentro do NILTON SANTOS.
Depois o R. Gomes assumiu e o BOTAFOGO voltou a série A.

Em 2016, Ricardo Gomes também insistia nessa conversa de posse de bola e o Time foi se afundando ao longo da temporada, sofrendo gols em demasia e caminhando de volta para a segundona.
Felizmente resolveu aceitar uma proposta do São Paulo e o Jair Ventura assumiu.
Jair escolheu um esquema mais defensivo e arrancou no campeonato, não só livrando o CLUBE de mais um rebaixamento, como conseguiu uma vaga na Libertadores

Em 2017, também com o Jair, o Time continuou a se defender bem e faltou um pouco de audácia e assim avançar na forma de jogo.
Com um esquema defensivo consolidado, deixaram de pensar na parte ofensiva; um ataque um pouco mais eficiente, poderia nos ter colocado na final da Copa do Brasil e na semifinal da Libertadores. Praticamente não finalizamos nesses duas fazes das competições e o ano terminou com o desperdício de uma oportunidade de voltar a Libertadores em 2018.

Em 2018, com a saída do Jair Ventura, escolhem o Felipe Conceição e surpreendentemente, o que havia de positivo da temporada anterior é completamente esquecido e o BOTAFOGO passa a achar que pode fazer a tal marcação alta, jogar com três homens de frente, entre outras coisas que o elenco não permite.
Sai o Felipe, vem o Valentim que conquista o estadual; todavia, a deficiência defensiva na temporada fica escancarada; muitos gols sofridos, ataque ineficiente, poucas vitórias, uma eliminação vexatória na Copa do Brasil e um risco de rebaixamento corrido na temporada.
Ainda passou pelo comando o Paquetá e terminou com o Zé Ricardo..

Dentro daquilo que me recordo das temporadas do BOTAFOGO, me parece claro que não há um planejamento visando uma progressão.
Longe de defender o Jair, que cometeu também os seus pecados, o desenvolvimento da forma de jogo deveria ter partido do sistema defensivo que ele implantou.
Deste sistema deveriam ter partido para variações, jogadas ensaiadas e algumas contratações que permitissem maior poder de fogo.

É essencial que o BOTAFOGO tenha o foco nos jogadores, nas suas virtudes e deficiências, para depois buscar o esquema ideal. Enquanto o foco estiver na preferência de jogo dos "professores", os resultados serão ruins.
particularmente eu prefiro um Time que tenha a posse de bola, da construção do jogo, mas insistir em posse de bola com esse elenco do BOTAFOGO apenas evidenciará as deficiências. Carli, Jean, Marcelo; eles não têm condições de sair tocando bola desde a defesa, por exemplo.
Precisamos de um Time que consiga pressionar um pouco os mais frágeis e se defender bem e contra-atacar bem contra os mais fortes.

SA!!!

https://www.terra.com.br/esportes/lance/em-busca-do-sonho-de-rene-botafogo-e-o-time-que-mais-acerta-passes-na-serie-b,b122fbbde0e1fb646035d4b2036a217e1sb3RCRD.html

Rodrigo Federman disse...

Muito boa análise, Marcio. É o que faz o Barcelona, por exemplo: Metodologia de jogo fixa, atletas contratados baseado no histórico de jogo do clube, etc. No Botafogo, de semestre a semestre muda-se tudo radicalmente. Sempre reiniciamos do zero.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Estou assistindo pelo facebook, bela transmissão.

Rico

Rodrigo Federman disse...

Sim, Rico.
Abs e SA!!!