segunda-feira, 18 de abril de 2022

Ganhou moral














Palavras do técnico Luis Castro, que soube mexer no time - com maestria - no intervalo da vitória de ontem:

"- No segundo tempo nós precisávamos encontrar espaços, e o Romildo é um jogador fantástico para isso. Nossa estratégia foi essa, e funcionou. Quando ganhamos, todas as substituições são maravilhosas. Quando perdemos, o treinador é um burro. Sabemos como isso funciona".

Nunca gostei do Romildo, mas justiça seja feita, tem entrado muito bem nos últimos jogos. E, sim...
...infinitamente mais participativo, simples e eficiente do que o Chay e sua máscara pesada.

Suficiente para ser titular? Com o Tchê Tchê disponível, além da chegada do tal Lucas Fernandes, obviamente que não...mas o Romildo subiu uns degraus.

Já o Chay...


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

22 comentários:

Eduardo Samico disse...

LC inspirado pela frase atribuída ao Oto Glória, que ficou famoso dirigindo a seleção portuguesa de futebol: “O treinador quando vence é bestial, quando perde é uma besta”.

E é isso, o Romildo vem entrando bem, e não só agora, com o LC. Torço para que se desenvolva e venha a disputar a posição com os demais - Tchê Tchê, PdeP, Oyama, etc...

Já o Chay. Esse que abra os olhos. A concorrência será intensa, periga ele acabar sendo o destaque do time B. Ou acabar negociado para algum time da série B mesmo. Muito ineficiente o Chay.

Abs.

Rodrigo Federman disse...

Eduardo, pior é que o Freeland ainda deixou o contrato do Chay até o final de 2024. Um cara que sequer (pela idade) tem mercado para revenda. E em campo, não é para Série A.
Abs e SA!!!

Klaus disse...

Chay vai ter que compreender que o time é outro e o campeonato é outro. Tchê Tchê no lugar dele será óbvio. Mas creio que LC vai saber trabalhar a cabeça de Chay e ele poderá ser muito útil no elenco. Precisamos de reservas prontos para substituições.

Rodrigo Federman disse...

Klaus, que seja útil entre os reservas.
Abs e SA!!!

Ronaldo Menezes disse...

O time que o LC está construindo vai alcançar lugares impressionantes, sempre que ele é perguntado por uma falha do time no jogo o treinador não foge, simplesmente responde e assume o erro. Difícil ver essa atitude, sempre os treineiros tem uma desculpa.

A evolução do time da 1ª rodada é absurda, com a bola no pé e sem ela, os jogadores sabiam o que fazer, fora o apagam depois dos 30 minutos do 1º tempo a melhora foi significativa.

Ronaldo Menezes
ABS.

Rodrigo Federman disse...

Ronaldo, acho que ainda é cedo para o céu e para o inferno. Mas claro que as perspectivas são boas.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

O L. Castro parece ser um técnico de tomada de decisão bem rápida, a escalação do D. Borges pela lateral esquerda é uma demonstração. Não ficou administrando com desculpas esfarrapadas as atuações ruins do jogadores da posição. Aliás, após o jogo frente ao Corinthians, L. Castro afirmou a necessidade de acelerar processos.
Uma outra situação é a possibilidade de jogadores que criticamos no passado começarem a jogar melhor por causa de uma melhor orientação, o que é dificil esperar de um técnico brasileiro.
E essa vitoria vale mais do que os 3 pontos, pois permite um ambiente mais tranquilo e a certeza de um trabalho em evolução.
SA!!!
SÁ!!!

Rodrigo Federman disse...

Sim, Marcio. Inclusive, acabei de já escrever e deixar automática a postagem de amanhã sobre o DB.
Abs e SA!!!

Luciano_CE disse...

Vamos esperar ele estrear na série A

Rodrigo Federman disse...

Sim, Luciano.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Pode ser que eu esteja enganado, mas acho que o Chay não terá vida longa entre os titulares.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Tomara, Marcio. Titular em Série A é muito pra ele. Muito mesmo.
Abs e SA!!!

Sergio disse...

Estou encantado com o Luís Castro, espero não estar enganado, e gosto dele não só pela leitura do jogo que mudou o time para a vitória no segundo tempo, mas sobretudo porque parece que está trabalhando o potencial dos jogadores, alem de não querer impor um sistema e sim criar um que se adapte aos atletas que tem como ele mesmo disse, e com certeza vai potencializar os garotos da base.
Claro que ainda é cedo e time está ainda desentrosado e alguns jogadores com preparação bem abaixo do que poderia estar, mas acho que com o tempo e as novas contratações o Botafogo terá um time seguro que com certeza não cairá e, quem sabe que com um pouquinho de sorte pode beliscar uma pré Libertadores, o que seria muito bom. ABS e SB!

Rodrigo Federman disse...

Sim, Sergio. Ainda é cedo, mas as perspectivas são muito boas e positivas.
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

Sei não, algumas pessoas estão dizendo que o Tchê Tchê entra no lugar do Chay. Mas e aí, vamos jogar com 3 volantes? Ainda tenho a expectativa do Lucas Piazón mostrar a que veio, pois dos armadores atuais, possui maior capacidade técnica. Outra alternativa seria o Lucas Fernandes, mas pelas informações, recuou para volância atuando na Europa. No Brasil, atuando pelo São Paulo, era meia, e nas poucas vezes onde o vi atuar, não me chamou a atenção. É torcer para ter evoluído.

Resumindo: Chay não terá vida longa entre os titulares, isso é fato.

Gabriel

Rodrigo Federman disse...

Gabriel, tanto o Tché Tché como o Patrick têm qualidades de atuarem mais avançados. Ambos, melhores que o Chay. Já esse Piazon, muleque mole, sem sangue. Eterna promessa. Para mim já mostrou porque nunca vingou em lugar algum.
Abs e SA!!!

Damião disse...

Se o Tchê Tchê entrar no time como volante, ele não sai mais. Nesse caso o Chay daria lugar ao Luis Oyama, que pode jogar mais adiantado. No ataque, se o Gustavo for tudo o que falam, ficaria assim: GS, Erison e Victor Sá. E o Lucas Fernandes entraria aonde? Isso quem pode falar é o LC, pois nunca ouvi falar desse jogador. E a defesa? Gatito, Saravia, Sampaio ou Kanu, Cuesta e Daniel Borges. Essa escalação deve ser a preferida do LC. Entrosado esse time pode chegar entre os 8 primeiros, no Brasileiro. Essa é a minha modesta opinião. Ainda tem o Marçal para o meio do ano e Lahavi.



Rodrigo Federman disse...

Damião, não me empolgo com tudo o que falam desse Gustavo Sauer. Quero vê-lo e tirar minhas próprias conclusões, pois quem está falando sobre ele está mentindo. Nunca ninguém viu o rapaz atuar. heheheh
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Há um detalhe importantíssimo que está passando batido.
O L. Castro a partir do momento que entender que o time está bem organizado, passar a modificar escalações de acordo com adversários e outras variáveis.
A escalação do D. Borges na esquerda, por mais que tenha sido por causa da inoperancia de quem é do setor, pode ter sudo fruto de observação nos treinamentos...
Como o V. Sá praticamente não desce para marcar, um lateral mais contido é necessario e o D. Borges no meu entendimento é mais de marcação do que o Saravia.
Ou seja se escalasse Saravia na esquerda e Borges na direita, poderia perder algumas boas caractetisticas de 3 jogadores, as dos 2 laterais e as do V. Sá.
Ele, pelo que li, trocou as posiçoes do P. de Paula e Oyama... Tchê Tchê faz as 3 funções do meio.
As pissibilidades de variações começarão a aparecer.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Bem observado, Marcio.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Gustavo Sauer:

"A gente pegou referências, nunca trabalhamos juntos. Todos os amigos disseram que é um fenômeno, muito forte na parte tática, quer um time agressivo, intenso. Estamos acostumados com isso em Portugal. É uma vantagem que o Botafogo tem"
"Eu estava jogando mais pelo lado direito, mas já joguei como 10, como terceiro homem de meio de campo também. Sou um jogador versátil, posso ajudar nesse sentido."

L. Fernandes:

"O Castro é um treinador que cobra agressividade e intensidade. Gosta de ter bola, de ter o controle. A gente pode ajudar por estar acostumado com a cultura portuguesa. Ele vai ajudar a nossa equipe, tem um grande trabalho pela frente"
"Passei quase quatro anos em Portugal. Fiz todas as posições no meio de campo e evoluí taticamente. Posso jogar onde o Luís preferir."

https://ge.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/2022/04/19/botafogo-apresenta-lucas-fernandes-e-gustavo-sauer-estamos-prontos.ghtml

Duas observações imediatas.
A primeira está no porquê de tantos jogadores contratados que passaram pela Europa; o costume aos métodos empregados nos treinamentos neste continente, impede de imediato um problema que é a adaptação.
Toda contratação é uma aposta, mas diminuir os riscos de dar errado, considerando todas as variáveis, é primordial.
A segunda observação que faço é em relação aos jogadores atuarem em mais de uma função, como afirmaram L. Fernandes e G. Sauer.
Com 5 substituições possíveis e essa versatilidade dos jogadores, incluo o Tchê Tchê nessa situação, permitirá modificações sem que seja necessário substituir jogadores; terá o L. Castro uma boa possibilidade de variações a partir do momento que o time estiver minimamente entrosado, conforma escrevi em meu último comentário.
As entrevistas do técnico e dos jogadores estão permitindo um melhor entendimento de como foi pensada a formação do Time.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Que assim seja e dê certo, Marcio.
Abs e SA!!!