sexta-feira, 30 de dezembro de 2022

Padronização














Desde que o Textor assumiu o controle do futebol do clube, se fala em um tal "Botafogo Way". Ou seja, uma maneira de jogar e trabalhar que seja única e igual da base até o time profissional. 

Sobre essa questão, o atual treinador do time B alvinegro, Lucio Flávio, explicou:

"- Como existiram muitas mudanças, com o Campeonato Brasileiro para se enfrentar, o foco foi muito na Série A, em ter boa participação. Nesse intervalo foi contratado um coordenador metodológico para ser a voz do Luís Castro do sub-23 para baixo. O clube já começou a ter digamos assim um mesmo caminho, um mesmo trilho, para ter uma identidade Botafogo. Isso está sendo bacana, esperamos que possa ser mais desenvolvido no próximo ano".

Como eu não acompanho a base, confesso não ter a menor ideia se, de fato, está acontecendo. O que sei, é que o JT está sim, investindo pesado também em profissionais de suporte tanto para os profissionais como para as categorias inferiores.

Agora, a parte tática, de orientação técnica, treinamentos...só quem realmente vive o dia a dia no clube pode dizer se já está em prática ou ainda é teoria.

Mas que seria/será algo bem legal, isso é inegável.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

5 comentários:

KEVEN disse...

Estimasee que o JT já desembolsou algo em torno de R$ 200 milhões esse ano. Para pagamento de impostos, de jogadores, de taxas, em estrutura.ou seja, ele não está de brincadeira. Mas, há muita coisa para ser feita.
Abs e SA!

Marcio disse...

Teoricamente seria muito bom ter um jogo uniforme desde a base.
A questão está em saber como amda o recrutamento dos jovens, pois de nada adianta forçar os jovens a se adaptarem ao estilo de jogo proposto.
Além disso, confesso que se o caminho for o mesmo "4-3-3" preferido pelo L. Castro, não acho a melhor escolha.
De qualquer forma, que o planejamento esteja bem feito e traga os resultados esperados.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Sim, Keven.

Disse tudo, Marcio.

Abs e SA!!!

Eduardo Samico disse...

Em tese parece interessante a idéia. Mas me parece muito distante. Já é difícil estabelecer um estilo de jogo para um time, o que dirá fazer isso para várias equipes, do sub-sub-sei lá qual idade até o profissional.
Enfim, não sou profissional do futebol, sequer estudioso do assunto sou. Então, resta-me torcer para que tal objetivo seja bem sucedido.
Fora do tópico, comunicado da Assessoria de Comunicação do Botafogo.

"GESTÃO + GOVERNANÇA
SAF Botafogo quita dívida histórica de R$ 54 milhões com a Prefeitura referente ao ISS; Desta forma, Clube poderá obter a última CND restante para voltar a ter projetos incentivados com o Governo
Como continuidade ao planejamento econômico-financeiro de John Textor na gestão do Botafogo, a SAF quitou na quinta-feira (29) uma dívida histórica de R$ 54 milhões com o Município do Rio de Janeiro referente ao ISS (Imposto Sobre Serviços). O pagamento reafirma o compromisso da gestão com os acordos celebrados e é uma excelente notícia para Clube Social, que poderá voltar a firmar projetos incentivados com o Governo para o desenvolvimento dos esportes olímpicos.
A SAF surgiu com a visão de John Textor de ver o futebol e o Clube Social e Olímpico fortes e unidos, pois o sucesso de ambos tem como grande beneficiado a marca Botafogo e o seu torcedor.
Neste primeiro ano de SAF, havia o compromisso no acordo de acionistas de investimento de R$ 150 milhões. Como sinal de comprometimento com o Botafogo, até o presente momento já foram investidos R$ 200 milhões, o que representa acima de 30% de investimentos a mais do que o esperado.
Assessoria de Comunicação"

Abs.

Rodrigo Federman disse...

Eduardo, eu sinceramente também acho uma utopia esperar isso aqui no futebol brasileiro.
Abs e SA!!!