quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Observar (e fazer algo) mais rápido





Análise do técnico Zé Ricardo, após a boa vitória de ontem:

"- Sofremos muito no primeiro tempo. Até digo que por sorte não saímos derrotados no intervalo. No segundo tempo, acertamos posicionamento, paramos de sofrer no lado direito da defesa, o que nos deu mais conforto com a bola. A gente não conseguia ficar com bola".

Concordo 100% com o ZR. De fato, a mudança de posicionamento do Erik (principalmente) foi o que mudou a cara do jogo, além, é claro, da postura de todo o time. Agora, ainda assim, faço uma crítica ao treinador botafoguense. Não apenas por ontem, mas por ser uma recorrente...

No caso do jogo contra o Defensa y Justicia, com 20 minutos de jogo já estava claro que o Botafogo não se encontrava e estava mal colocado em campo. Ao invés de observar e mexer rápido, o Zé preferiu contar com a sorte durante os 45 minutos sem nenhuma alteração de posicionamento ou de jogo. 

Não é inteligente depender sempre da sorte (palavras do próprio comandante botafoguense). Da mesma forma, ele não precisa esperar o intervalo para tentar mudar um time quando estiver mal, né?

O trabalho do treinador em uma partida começa no minuto número um e vai até o nonagésimo. Não apenas nos quinze que tem direito no vestiário.


SAUDAÇÕES ALVINEGRAS!!!

32 comentários:

fabio lucas disse...

Sigo falando a gente precisa de lateral direito e centroavante

Adelson disse...

Vencer o jogo já seria surpreendente, goleada com 10 em campo, mais surpreendente ainda. É para se comemorar,o resultado foi um grande feito.
Mas, no quesito futebol, salvo alguns lampejos incríveis, como o lançamento de Jean e o gol quase do meio de campo de Alex Santana, não é nada animador, embora tenha evoluído.
O time precise de um cérebro e um matador urgentemente, no mínimo.

Rodrigo Federman disse...

Fabio, não somente.

Adelson, depois da expulsão do Marcinho, ficamos com 9, pois Kieza e nada é nada!

Abs e SA!!!

Eziel Junior disse...

Rodrigo na armação inicial eu tiraria o kieza e Luís Fernando. Colocaria Cícero como atacante e João Paulo no meio. Essa simples mexida na minha opinião já seria o suficiente.

Vejo muitos torcedores pegando no pé do Pimpão... O cara tem tido um papel muito importante nos jogos do Botafogo... Principalmente na marcação auxiliando o lateral. Na boa essa dobradinha do lado esquerdo com Jonathan e Pimpão tá dando muito certo. Há mais vcs vão falar que Pimpão é atacante... Mais no futebol moderno atacante também volta pra marcar...

E sobre elenco acredito que pegando um lateral direito e um atacante que saiba fazer gols, acredito que dá pra buscar uma vaga na libertadores esse ano e com muita sorte um título sul-americano.

Rodrigo Federman disse...

Eziel, além desses, eu colocaria o Valencia no lugar do Pimpão. Desculpe,mas eu não curto essa de "atacantes táticos". Atacante tem que gostar de fazer gols.
Abs e SA!!!

Eziel Junior disse...

Rodrigo não vejo o Valencia com essa moral toda também não. Ontem no primeiro passe dele meteu um canudo pro Erick. Eu prefiro João Paulo... Ele tem mais visão de jogo no meio campo. Se bem que valência tem boas cobrança de falta e sabe cruzar... O que nan faz sentido e manter Luiz Fernando centralizado tendo várias peças de meio campo pra por...

Rodrigo Federman disse...

Eziel, mas eu não falei moral, me refiro a talento mesmo!
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Um fator preponderante foi aquele gol do Erik no final do primeiro jogo, pois isso obrigou ao Defensa y Justicia a adiantar ainda mais as suas linhas no segundo jogo.
Soma-se a isso o fato da defesa ter se comportado de forma praticamente exemplar, impedindo que os argentinos empilhassem oportunidades; se não estiver enganado, apenas uma quando um jogador cabeceou livre no inicio do jogo.
Observo que o Jonathan mais uma vez fechou o lado esquerdo e assim obrigou ao Defensa y Justicia a atacar basicamente pelo lado do Marcinho o mais vulnerável, não conseguiu girar o jogo pelos dois lados e fazer a inversão rápida da jogada às costas da defesa. Isso foi uma vantagem para a zaga, considerando o posicionamento.
Uma prova disso foi no gol anulado, onde um cruzamento saiu da esquerda de ataque deles e o Gilson, sempre ele, permitiu que o adversário escorasse a bola para o meio da área para um companheiro completar; a sorte foi que quem fez o gol estava impedido.
Se estivesse zero a zero no placar e com o Marcinho e Gilson em campo, o risco de eliminação teria sido bem mais acentuado.
Claro que o BOTAFOGO nas poucas oportunidades que teve foi eficaz, pois, afinal, futebol é bola na rede; só que não posso deixar de admitir que os argentinos estiveram, nos dois jogos, muito mais arrumados, apresentaram um jogo coletivo muito melhor.
E não digo isso pelo fato do BOTAFOGO jogar no contra-ataque ou coisa semelhante e sim pela falta de organização na execução dessa proposta.
Guardadas as devidas proporções, Manchester City gosta de ficar com a bola e é muito bem treinado pelo Guardiola para executar o planejado; Liverpool é um tipe altamente vertical e também é muito bem treinado pelo Klopp, ou seja, a forma de jogo escolhida não significa estar mal organizado.
Ele diz que sofreu muito, seria meio óbvio que isso aconteceria, pois com o L. Fernando no meio campo, que não características para atuar no setor, mais um ataque com três homens onde apenas um tem poder de decisão, é um convite para um adversário que gosta de ficar com a bola... Eles sempre tiveram superioridade no setor.
Ainda bem que o futebol e lógica nem sempre estão juntos, mas nem sempre se terá oportunidade de fazer um outro jogo no segundo tempo.

Mais uma coisa:
O Defensa y Justicia é uma equipe pequena e fatalmente de orçamento limitado, o futebol argentino também perde jogadores para o mercado externo, Boca e River são os que tem o dinheiro... Tudo isso não impediu que montassem uma equipe de jogo organizado; Não é porque o BOTAFOGO se classificou que vou deixar de dizer o que assisti.
No Brasil joga-se um futebol muito pobre de ideias e não é de hoje... Só sabem reclamar que não tem tempo para trabalhar, que falta jogador de qualidade...
Estou feliz pela classificação, mas não podemos comemorar apenas classificações, quero um jogo organizado, pois assim estaremos mais próximos das vitórias e de títulos.
Ainda há tempo para melhorar.

SA!!!



Rodrigo Federman disse...

Marcio, me incomoda que ele (ZR) passa o tempo inteiro vendo o que está errado e nada faz durante 45 minutos, resolvendo mexer apenas no intervalo. É assumir muito risco. Ou pouca convicção do que pensa e/ou está vendo em campo?
Abs e SA!!!

Anônimo disse...

RODRIGO,esse ZR não enxerga absolutamente nada.Não tomamos dois gols por incompetência dos atacantes,que da pequena área cabecearam para fora.Antes da primeira partida,os midiáticos e até alguns torcedores,enalteciam o time argentino,que era bem treinado,ajustado e blá,blá,blá.Como prefiro ser REALISTA,resolvi assistir a duas partidas deles.Foi 0x0 na primeira e venceram de 1x0 na segunda.Um time comum,muitos toques laterais,um ataque limitado e uma defesa que falha muito quando pressionada.Fiquei quieto e não me manifestei sobre o que vi.No Rio,mesmo com três inúteis em campo(KIEZA,LF e MARCINHO),não sofremos gols e vencemos.Chega a segunda partida,o mesmo alvoroço e temor,os mesmos perebas em campo,time mal escalado,etc.Qual o resultado do que seria um vexame?
Ontem,antes da partida,escrevi que levava fé na vitória,não por termos um grande time,mas porque os argentinos não assustam a ninguém.Ser líder do campeonato de lá,na atualidade,não quer dizer nada.
Aí eu pergunto,como um time tão bem treinado,ajustado,cheio de jogadas,etc,em 180 minutos não consegue,nem em casa,fazer um mísero gol em uma defesa que teve um medíocre jogador expulso,o LE substituído por outro horroroso,além de KIEZA e LF em campo?
Quando digo que o futebol brasileiro e o sul americano estão nivelados por baixo,alguns não acreditam e se deixam levar pela mídia ame$trada.
Quanto ao nosso BOTAFOGO,não fico otimista,nem sou pessimista,prefiro a REALIDADE dos fatos.Qualquer resultado pode acontecer,pois a diferença dos times ditos melhores é muito pequena em relação àqueles que dizem ser piores.JOTA.

Marcio disse...

Rodrigo, não temos treinadores no Brasil... Tem muito incentivador e entregador de camisa.
Basta fazermos um apanhado dos confrontos entre clubes brasileiros e os outros do continente; quase sempre nenhum consegue ser dominante nos confrontos.
A maioria dos times jogam por uma bola, contra-ataques e nada mais.
Deixo claro que não estou reclamando da vitória, estou feliz e com o dia tranquilo por causa dela, eu não tenho certeza absoluta de que o O BOTAFOGO não pode apresentar um futebol melhor, que o Time é apenas isso que aí está, mesmo considerando nomes que deveriam estar fora há muito.
Eles, os técnicos, reclamam que não tem tempo e quem sem ovos não se faz uma omelete... O que aqueles que tem mais dinheiro estão jogando? Já assisti alguns jogos destes, não vejo nada e nisso eu entendo o que diz o nosso nobre companheiro Jota.
Aí vemos os comentaristas elogiarem apenas por causa de nomes "midiáticos", mas não cobram rigorosamente nada em relação ao jogo jogado, enquanto espetáculo.
O nosso técnico é mais um no bolo... Na próxima temporada estarão todos reclamando da mesmas coisas e resultado algum dentro de campo enquanto ideia de jogo.
Infelizmente o BOTAFOGO não tem critério nas contratações, não se organiza minimamente e isso dificulta ainda mais a sua caminhada.
Me alonguei e muito, mais uma vez, torço para estar errado, mas o Zé Ricardo não vai modificar nada do que aí está, Vai até o final com essa ideia fixa de jogo e seguindo à risca o que manda o manual do futebol.

Para terminar. ontem o City perdia na Alemanha para o Schalke por 2 a 1 e no segundo tempo, quando Otamendi foi expulso, sacou o David Silva e colocou o Kompany; com isso centralizou o Bernardo Silva no meio campo. Depois sacou o Agüero, colocou o Sané e trouxe o Sterling para jogar por dentro, mais próximo da área.
Virou o jogo.
Por ter marcado um gol fora de casa e estar com um jogador a menos, aposto que se fosse um técnico brasileiro, sacaria o Agüero e colocaria o Kompany e aproveitaria para tirar o David Silva para colocar mais um "volante de contenção" para segurar o 1 a 2 fora e assim jogar por uma vitória simples de 1 a zero em casa.
Por isso ele é o Guardiola e os outros são os outros.
O cara tem muita solução para os problemas que surgem. Ele erra, não por omissão.
SA!!!
SA!!!

Eziel Junior disse...

Marcio concordo com tudo que falou... Mais sinceramente não vejo um time organizado no Botafogo desde 2007. E digo mais sobre essa questão de organização e futebol bonito sabemos que na pratica as coisas não andam bem assim. Por exemplo, citando os jogos que fizemos na libertadores no 2017 o time não era um exemplo de organização, porém o Evereste fechava bem o meio de campo colocando uma linha de 4 fazendo com que o meio campo ganhasse em posse de bola e contanto com alguns golzinhos de Roger.

Mais na pratica o futebol praticado na era do Jair era muito feio, porém tínhamos resultados... Não foi totalmente sorte chegar as quartas da libertadores e as semifinais da copa do brasil. Vejo que houve competência no esquema tático montando em 2017...

Naquele jogo contra o Grêmio jogamos de igual pra igual e ainda tivemos uma bola na trave.

Então concluído é melhor admitir que o time é ruim e jogar fechando todos os setores do campo com muita marcação e ganhar jogos do que treinar algo que não vai surti efeito...

Rodrigo Federman disse...

Sim, Jota. Concordo. Ele é fraco demais. Passou o primeiro tempo inteiro vendo o time no sufoco, sem fazer nada. Os erros estavam visíveis, mas mesmo assim ele preferiu esperar o intervalo para tentar fazer algo diferente.

É, Marcio. Nossos "professores" são péssimos, no mesmo nível do atual futebol brasileiro.

Eziel, acho mais importante entender as características do elenco para montar o time. Nunca fazem isso.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Eziel, a questão é que o esquema de jogo escolhido deve estar em concordância com o elenco disponível e bem treinado.
Sobre o Time de 2017, não há como negar que a campanha foi muito digna na Libertadores, mas o Jair passou toda a competição e não apresentou uma única jogada ensaiada... Naquele jogo contra o Grêmio, o segundo, após o gol sofrido não apresentou rigorosamente nada para tentar um gol no abafa; depois do gol, o jogo acabou.
Contra o Flamengo, no primeiro jogo da semifinal, o Time não finalizou uma única vez, mesmo sabendo que o goleiro deles era o Muralha.
Voltando ao ZR, não custa lembrar que dos onze que foram a campo ontem, apenas Gabriel e A. Santana chegaram agora em 2019; todos os outros já trabalhavam com ele e conhecem a filosofia.
Não dá para ficar acreditando nessa situação que tentam vender que foram muitas mudanças no Time.
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

É exatamente isso, Marcio. E aliás, é exatamente o que não acontece no Botafogo.
Abs e SA!!!

Unknown disse...

Acho que o que faltou em 2017 foi experiencia. Márcio colocou muito bem... Naquele time do Jair ele não conseguia com as peças que tinha fazer o time jogar com a bola nos pés. Me lembro bem o Botafogo era o time reativo... Tinha uma boa marcação do meio pra traz mais criava pouco. Por isso, os placares de 1 a 0 eram recorrentes.

Mais ae volto um ano antes 2016 por exemplo... Na arrancada pra fugir do rebaixamento tínhamos um time com bons atacantes que era Sassa e Neilton que davam um certo trabalho pra defensa adversaria. Jair também conseguiu montar um time razoável. Mais enfim não estou puxando saco do Jair Ventura, pois não acho um bom treinador ainda... Na verdade vejo ele como um Celson Roth melhorado. Mais nas versões do técnico da nova geração falta muita coisa ainda... Acredito que destes que estão o único que esta de acordo com os padrões Europeu aqui no rio é o Fernando Diniz no Fluminense. O problema é que o time dos Flores é ruim e isso pode prejudicar o trabalho dele mais a filosofia que ele prega em relação a toque de bola é muito boa e produtiva na minha opinião.

Rodrigo Federman disse...

Unknown, não sei se faltou experiência também. Tínhamos caras rodados no elenco. Quanto ao JV, juro que não vejo diferença alguma para o ZR. Para mim, os dois são fracos. A "vantagem" do ZR é não ser nojento e arrogante! rs
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Alex Santana:

"Consegui acertar um belo chute. No intervalo, o Diego Cavalieri me falou que o goleiro deles jogava adiantado. Fui feliz e pude fazer o gol".

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/alex-santana-revela-conselho-de-cavalieri-para-o-golaco-falou-que-o-goleiro-deles-jogava-adiantado.ghtml

Muito boa a percepção do Cavalieri sobre o posicionamento do goleiro adversário.
Por mais que tenham de cumprir obrigações, acredito que os jogadores podem e devem ser proativos.

O A. Santana está confirmando que é jogador de excelente chute, força e direção quase sempre combinados.
Creio que ele tem requisitos para ser o cobrador de faltas do BOTAFOGO.
O que não pode é o L. Fernando continuar recuando bolas para o goleiro adversário.

SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Maneiro demais, Marcio.
Abs e SA!!!

VinnyMarques disse...

3 peças: Kimerda Pimpão e Luis Fernando não vem bem faz tempo... Além do afobado Marcinho. Esses tem que ser substituídos ou, ao menos temos que ver outros testados. Cícero é Valência serão titulares. E não acredito que Igor e Rhuan são piores que o Kimerda. Zé Ricardo tem se mostrado engessado demais.

Rodrigo Federman disse...

Vinny, soma-se o engessado Zé Ricardo também.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Rodrigo, isso pode ser uma demonstração de que o Cavalieri está integrado ao grupo e brigando de forma limpa pela titularidade.
Até porque não se conformar com a reserva não deve significar não remar para o mesmo lado. Todos ganham!
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Com certeza, Marcio. Se vem para somar de maneira efetiva, é sempre bem-vindo.
Abs e SA!!!

jones lopez disse...

Eu gosto do pimpão fechando o lado direito como meia aberto e ajudando o lateral na marcação e também devido as opções no elenco o ze Ricardo deverua testar uma equipe veloz e com boa jogadara aérea pra vencer as partidas eu gostaria de ver essa escalação num mata mata iu buma partida fora de casa .
Gatito
Marcelo
Carli
Gabriel
Jhonatan
Jean
Alex santana
Cicero
Valencia
Pimpão
Erick

PAULO FERNANDO disse...

Começou mal a temporada pela questão física, mas superada essa questão o time nelhorou muito. As trocas do Rodrigo Lindoso pelo Alex Santana, do Matheus pelo Cicero, do Igor pelo Gabriel e o retorno do J Paulo vão deixar o time melhor com o tempo. Precisamos urgente de centro avante e vender logo essa bosta de Leandro pro Ceará e do Gilson pro Guaiba F C.
Obs: o Pimpão obtem foi muito importante para o time. Fechou muito o lado esquerdo ajudando o Marcinho e foi ele que tomou o penalti do segundo gol. Preparo físico absurdo dele!

Anônimo disse...

Eu penso que com valencia e Cícero nas vagas de kieza e Luiz fernando a equipe ganharia um melhor jogo aéreo e armação nas jogadas ta na hora do Ze ricardo testar .
Jones

Rodrigo Federman disse...

Jones, eu não gosto desse lance em que atacante precisa marcar adversários como prioridade e se sobrar tempo, aí sim, atacar os adversários.

Paulo, o Cícero ainda é uma incógnita nesse time. Eu lamento muito a saída do MF ainda.

Abs e SA!!!

Marcio disse...

Sobre o Cícero, não custa lembrar que ele já disse preferir jogar de segundo ou terceiro homem de meio campo;

"Estou pronto para ajudar. Claro que jogar como atacante não é minha preferência. Mas depende do dia a dia, como as coisas se encaixam melhor. O mais importante é o Botafogo sair vitorioso. Prefiro jogar mais recuado, a maioria dos meus gols é jogando como segundo ou terceiro homem do meio."

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/cicero-e-apresentado-no-botafogo-e-indica-preferencia-por-posicionamento-mais-recuado.ghtml

E isso não é exatamente uma novidade, disse ele ainda no Fluminense em 2007:

"Prefiro jogar como segundo volante e chegando ao ataque. Tem posição em que quebro o galho no meio-de-campo, mas prefiro ser um segundo ou terceiro volante, como era no Figueirense"

http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Fluminense/0,,MUL65320-4284,00-CICERO+DIZ+QUE+PREFERE+JOGAR+MAIS+RECUADO.html

O meu receio é o Zé Ricardo inventar e fixá-lo em uma posição fora da sua "preferência"...
Claro que em um time, nem todos poderão jogar em seu lugar preferencial, só que não custa lembrar que o Aguirre, não estou dizendo que seja craque de bola, poucas oportunidades recebeu em sua posição de preferência, centroavante, enquanto o Kieza não sai nem por decreto presidencial.
Creio que o primeiro que deve deixar o Time e assim abrir vaga para quem tem mais condições é o Kieza; isso está pacificado.
Depois o meio campo pode jogar com Jean, A. Santana, J. Paulo e o Cícero; o Jean pode permanecer mais fixo, já os três restantes devem ter liberdade de ação e troca constantes de posição.
No ataque, Erik e mais um de velocidade ou até mesmo o L. Valencia.

Para terminar, respeito pensamentos divergentes, mas atacante é para ser marcado e não para marcar. Se o Romário aparecesse hoje, não iria jogar, pois esses professores não gostam dos craques, preferem os voluntariosos porque estes fazem o que pedem.
Observem que hoje é aquela ladainha do "Gérson não jogaria hoje, Pelé não jogaria hoje, Garrincha não jogaria hoje, o futebol mudou..."
Não vou nem citar clubes da época, vou direto à seleção de 70. Qual jogador de hoje jogaria naquele time, incluindo os que jogam na Europa?
SA!!!

Rodrigo Federman disse...

Marcio, me preocupo mais caso o ZR queira atender e tire um dos volantes do time atual, que estão bem. Sem contar ainda a possibilidade do JP voltar logo. O Cícero hoje tem que jogar mais adiantado. E em minha opinião, improvisado no lugar do Kieza.
Abs e SA!!!

Marcio disse...

Penso um pouco diferente, Rodrigo.
O Cícero pode entrar no lugar do Kieza e não necessariamente na mesma posição. Ele, Alex, Santana e J. Paulo podem não ter posições fixas no meio campo e assim revezarem-se nas funções. Maior liberdade de movimentação desses três e apenas o Jean fixo como primeiro volante.
Destes de meio campo, o Cícero é que tem melhor chegada dentro da área;
A. Santana é o que domina melhor a intermediária adversária e tem melhor finalização de média e longa distancias;
J Paulo tem boa movimentação entre as intermediárias e boa capacidade de organização de jogo.
Jean. tem como ponto forte a marcação.
Acredito que essa formação de meio campo "descansará" o Jean para cuidar apenas da marcação e os outros três tem capacidades complementares muito boas.
Sem esquecer a movimentação dessas peças conforme a exigência dos jogos.
SA!!!

PAULO FERNANDO disse...

Marcio, esse também é meu time: Gatito, Marcelo Benevenuto, Carli, Gabriel e Jonathan, Jean, A. Santana, J. Paulo, Cicero, Erick e Valência (ou Luis Fernando, ou Pimpão).

Rodrigo Federman disse...

Marcio, pode ser também. O fato é que qualquer um no time já melhora. Desde que, saindo o péssimo Kieza, é claro.

Paulo, mas no momento, não contemos com o Carli por um bom tempo!

Abs e SA!!!